Cosme Rímoli Expulsão, inaceitável, de Gabigol pode custar seis jogos de suspensão

Expulsão, inaceitável, de Gabigol pode custar seis jogos de suspensão

Atacante foi expulso aos nove minutos contra o Bahia. Por ter xingado o árbitro Flávio Rodrigues. Levou cinco minutos para sair e ainda xingou o delegado do jogo

  • Cosme Rímoli | Do R7

Gabigol reclama da expulsão nos minutos inicias da partida contra o Bahia

Gabigol reclama da expulsão nos minutos inicias da partida contra o Bahia

Sergio Moraes/Reuters = 20.12.2020

São Paulo, Brasil

Nove minutos de jogo.

O Flamengo estava vencendo o Bahia.

1 a 0, gol de Bruno Henrique.

O time de Rogério Ceni precisava desesperadamente da vitória no Maracanã, para tentar chegar perto do São Paulo, líder do Brasileiro.

Impunha um ritmo frenético, pressionando desde os primeiros minutos. O Bahia, de Mano Menezes, encurralado.

Até que a bola chega dividida para Gabigol, aos nove minutos do primeiro tempo. O jogador cai na entrada da área. Fica olhando para o árbitro Flávio Rodrigues, da Federação Paulista.

O juiz para imediatamente o jogo e dá cartão vermelho para Gabigol.

A transmissão da tevê mostra o árbitro dizendo firmemente para o atacante do Flamengo.

"Você não vai me mandar tomar no..."

Gabigol se revolta e diz que xingou um companheiro do Flamengo.

O árbitro manteve a expulsão.

O atacante fez um escândalo, se recusava a deixar o gramado. 

Como ele é o grande ídolo do clube, seus companheiros de time nada faziam. Rogério Ceni chamava Gerson e ignorava Gabigol.

Sem público, todos que estavam na partida sabiam o que havia acontecido. E Gabigol não ganhou apoio de ninguém do Flamengo.

Tudo ficaria ainda pior.

Depois de cinco minutos, finalmente, o atacante teve a decência de deixar o gramado. 

E tratou de xingar o delegado da partida, Marcelo Vianna, vice-presidente da Federação Carioca de Futebol.

Ele teria falado, como relatou repórter do canal Premiere.

"Como eu vou jogar desse jeito? Vai tomar no ...

"Agora eu mando mesmo.

"Eu não jogo mais aqui!"

E foi para o vestiário flamenguista.

O vice de futebol, Marcos Braz, deixou a arquibancada, onde assistia ao jogo e foi conversar com Gabigol.

O atacante tão importante cometeu um gesto infantil, de jogador mimado.

Prejudicou de maneira imperdoável seu time, que ficou com apenas dez jogadores.

Um atacante que custou 18 milhões de euros, cerca de R$ 112 milhões.

Além de prejudicar hoje seu time, não atuará contra o Fortaleza, no Ceará.

O Código Brasileiro de Justiça Desportiva prevê suspensão até seis partidas ao atleta que xinga um árbitro.

A direção e Rogério Ceni precisam agir.

Ele tem 24 anos, não é um menino.

Precisa ter responsabilidade.

O Flamengo briga para ser bicampeão brasileiro.

Não pode perder essa chance por uma bobagem como hoje.

Xingar o árbitro é algo infantil demais...

(No dia 4 de agosto do ano passado, o mesmo árbitro Flávio Rodrigues expulsou Fernandão, atacante do Bahia, na partida que o time nordestino venceu o Flamengo, em Salvador, por 3 a 0.

(Na súmula, o motivo. O jogador o mandou 'tomar no ..."

(Ou seja, mesmo critério de hoje...)

Últimas