Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Estava desanimando. Chegavam poucas bolas', a confissão de Yuri Alberto. Atacante que tirou o Corinthians da zona de rebaixamento

O atacante de 22 anos, cujos 50% custaram Du Queiroz e Robert Renan, mais a prioridade de Pedro, ao Zenit, é o jogador que mais sente falta de Renato Augusto. Ontem estava na reserva e evitou outra derrota de Luxa

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

São Paulo, Brasil

"Eu estava desanimando. 

"Recebendo poucas bolas."

A confissão foi de Yuri Alberto, após a partida de ontem, contra o Fortaleza, quando ele salvou o Corinthians de mais uma derrota, marcando aos 43 minutos do segundo tempo, em Itaquera.

Publicidade

O empate em 1 a 1 encerrou nove partidas em jejum do atacante de 22 anos.

Mas não a sensação do atacante de 22 anos. Ele foi o jogador que mais se ressentiu da ausência de Renato Augusto, que se contundiu e teve de ser operado em abril.

Publicidade

Fernando Lázaro e, agora, Vanderlei Luxemburgo trataram de priorizar Róger Guedes. Ele se tornou a grande opção de ataque no Corinthians. E é um jogador individualista, desde os tempos do Palmeiras.

Luxemburgo analisou as últimas partidas corintianas e percebeu a dependência, a falta de confiança de Yuri Alberto. E principalmente quanto o Corinthians perdia de intensidade na recomposição com os dois juntos.

Publicidade

Daí Yuri Alberto ter começado o jogo no banco de reservas.

Enquanto o Corinthians, contra o excelente Fortaleza de Vojvoda, apostava em Adson e Pedro abertos, com Róger Guedes centralizado, o jogador que custou Du Queiroz e Robert Renan, mais a prioridade do próprio Pedro, para o Zenit, ficou fora.

Publicidade

Tudo isso por 50% dos direitos do atacante.

Não houve reclamação, protesto da torcida, da mídia.

Yuri Alberto, que foi anunciado com toda pompa, no dia 10 de janeiro, com a certeza dele e dos dirigentes de que começaria sua caminhada para a Copa do Mundo de 2026, ganhando vaga na seleção nas Eliminatórias.

E valorização para futura venda de novo à Europa. Só que, desta vez, para um centro melhor do que a Rússia.

Só que o fraco futebol do Corinthians sob o comando do novato Fernando Lázaro, do furacão Cuca, e na estreia de Luxemburgo, o empurraram para o mais incômodo jejum. E para a reserva.

O técnico, que completará 71 anos amanhã, sabe que não pode desvalorizar um dos atletas mais caros do Corinthians.

Ele recebe R$ 1,2 milhão por mês. E é avaliado pelo Transfermarkt, site especializado em transação de jogadores, em 18 milhões de euros, R$ 98,6 milhões.

"É um jogador que está todo mundo cobrando, nove jogos sem fazer gol, a pressão vem em cima dele. Ele tinha que entrar em campo solto, tranquilo. E as pessoas que estavam contestando ele jogar, pediram a entrada dele em campo. Já acontece uma mudança na parte emocional externa. Ele vai e faz o gol, pra ele foi muito bom e pra equipe, também. É assim que acontece no futebol.

"Eu falei: 'Rapaz, fica tranquilo, você faz parte de um elenco que vai fazer coisas boas. Daqui a pouco você vai entrar no jogo, fazer um gol de empate e a coisa vai acontecer'. E aconteceu de ele entrar e fazer o gol."

Luxemburgo é especialista em se valorizar.

Mas tudo que Yuri Alberto não estava era tranquilo durante a partida contra o Fortaleza.

Era um dos jogadores mais tensos.

Ele entrou aos 19 minutos do segundo tempo, no lugar de Matheus Araújo. Lutou, correu, gritou. Pedia a bola, corria pelos dois lados do ataque. Mas não conseguia articular importantes jogadas ofensivas.

Mas lutou muito.

E conseguiu marcar o gol que tirou momentaneamente o Corinthians da zona do rebaixamento, aos 43 minutos.

Depois de uma confusão infantil entre o arqueiro Fernando Miguel e Bruno Pacheco. A bola sobrou livre para o chute de Yuri Alberto, para o gol vazio.

Se o gol empolgou o atacante, Luxemburgo ainda tem dúvidas. O próximo jogo do Corinthians, que ganhou quatro pontos em 12 disputados, será contra o Botafogo, no Rio de Janeiro.

O time de Luís Castro, líder do Brasileiro com quatro vitórias em quatro jogos, tem mostrado futebol competitivo, de muita luta, intensidade.

Daí, a incerteza de Luxemburgo em manter Yuri Alberto e Róger Guedes na quinta-feira.

O técnico sabe quanto o Corinthians precisa de pontos, para evitar a zona do rebaixamento. Embora no início do Brasileiro, a pressão no Parque São Jorge é forte com o time nas últimas colocações. 

Por isso, a empolgação de Yuri Alberto é contida.

Ele sabe que pode continuar na reserva.

O time de Vanderlei Luxemburgo ainda está confuso.

Tenso.

"Nesse momento o que o Corinthians não pode é perder", disse o técnico, dando a entender que montará uma equipe mais forte na marcação no Rio.

Ou seja, um empate seria ótimo para o clube paulista.

E, se para conseguir ficar longe da zona do rebaixamento, Yuri Alberto precisar voltar a ficar no banco, vai ficar.

Esse aval Luxemburgo tem da diretoria...

Compare os titulares de Real Madrid e Manchester City, que duelam na semifinal da Champions

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.