Cosme Rímoli Douglas Costa, de malas prontas para os Estados Unidos, depois de 28 jogos. Volta ao Grêmio foi enorme fracasso

Douglas Costa, de malas prontas para os Estados Unidos, depois de 28 jogos. Volta ao Grêmio foi enorme fracasso

O meia-atacante, R$ 1,5 milhão por mês, acerta sua rescisão com o Grêmio. E está encaminhada a ida para o Los Angeles Galaxy. Todos os planos de retorno a Porto Alegre fracassaram. Deixa o clube na Segunda Divisão

  • Cosme Rímoli | Do R7

Douglas Costa chorou de emoção ao voltar. Só 28 partidas depois, está indo embora

Douglas Costa chorou de emoção ao voltar. Só 28 partidas depois, está indo embora

Jéssica Maldonado/Grêmio

São Paulo, Brasil

Fracasso absoluto.

Essa é a maneira como os dirigentes resumem, entre si, a tão sonhada volta de Douglas Costa ao Grêmio.

A ponto de decidirem, unanimemente, que não valeria a pena seguir com o midiático meia-atacante. E despachá-lo para o Los Angeles Galaxi.

Depois de 11 anos de sucesso na Europa, Douglas Costa retornou como campeão mundial, tricampeão alemão, tricampeão italiano, pentacampeão ucraniano.

Chorou de emoção ao voltar ao clube que o lançou. Com apenas 31 anos, R$ 1,5 milhão por mês, tudo levava a crer que ele seria a estrela que faria o clube esquecer a vexatória eliminação na 'pré-Libertadores'.

Comandaria a reação tricolor na briga pelo título brasileiro.

Seria o líder técnico, o grande ídolo da torcida. E, como compensação, além do altíssimo salário, seria reconduzido pelo Grêmio à seleção brasileira, para disputar a Copa do Catar.

O retorno foi uma das maiores decepções do futebol deste país nos anos 2000.

Douglas Costa logo mostrou acúmulo de problemas musculares, que o impedem de uma sequência de jogos há anos. Foi por isso que passou a perder espaço na Juventus, no Bayern, na Europa.

O Grêmio disputou 41 partidas. Ele só conseguiu entrar em campo 28 vezes. E jogou apenas dez  do primeiro ao último minuto. 

O desempenho foi ainda mais frustrante. 

Três gols e duas assistências.

Luiz Felipe Scolari e Vagner Mancini não sabiam mais dar desculpas para o fraquíssimo futebol de Douglas Costa.

Douglas Costa, ao marcar contra o Atlético, ironizou a torcida gremista que o vaiava. Adeus

Douglas Costa, ao marcar contra o Atlético, ironizou a torcida gremista que o vaiava. Adeus

Reprodução/Instagram

E, o pior, o Grêmio acumulando derrotas, vexames, entrando em um caminho sem volta para a Segunda Divisão.

Douglas Costa ainda deixou o ambiente mais tumultuado quando o clube precisava de foco para tentar uma escapatória histórica do rebaixamento.

Logo ao chegar, ele havia avisado que tinha marcado seu casamento, que teria direito a uma festa luxuosa, com Nathália Felix, no hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Em junho. Mas a comemoração teve de ser adiada pela grave crise da Covid-19.

Mesmo assim, Douglas Costa fez questão de ir para sua lua de mel, na República Dominicana, com o Grêmio já na zona do rebaixamento e lutando para chegar às quartas da Sul-Americana com a LDU.

Para piorar, ele remarcou o casamento para o dia 7 de dezembro, quando acreditou que o Brasileiro estaria acabado, de acordo com o primeiro calendário divulgado pela CBF. Só que a entidade adiou a última rodada para o dia 9 de dezembro.

Douglas Costa resolveu manter o casamento assim mesmo, dois dias antes da partida decisiva contra o Atlético Mineiro.  A direção gremista o proibiu de viajar. Houve discussão séria entre o jogador e a direção. O casamento foi novamente adiado. E a relação entre o meia-atacante e a cúpula do clube foi rompida de vez.

O clube foi rebaixado, mesmo depois da vitória por 4 a 2 diante do campeão brasileiro. Douglas Costa marcou seu gol e comemorou de forma irônica, desafiando a torcida gremista que o xingava, vaiava. Ele fez questão de acenar, após o gol, dando "tchau" aos torcedores.

Douglas Costa. Lua de mel na República Dominicana. Com o Grêmio caminhando para o rebaixamento

Douglas Costa. Lua de mel na República Dominicana. Com o Grêmio caminhando para o rebaixamento

Reprodução/Instagram

Estava claro que sua volta ao Grêmio chegava ao fim.

O jogador e seu empresário deixaram vazar que o clube gaúcho acumulou dívidas salariais com o atleta: R$ 7,2 milhões.

Não havia a menor condição de continuar a relação.

Douglas Costa e seu agente Junior Mendoza começaram a negociar com o São Paulo. O clube oferecia um salário mais baixo do que ele ganhava no Grêmio. E contrato de dois anos. Mas os dirigentes paulistas garantem que fizeram apenas a "primeira proposta". Esperaram que fosse aberta a negociação, mas o jogador e seu empresário nem sequer responderam.

Houve uma sondagem do Flamengo, mas que não se concretizou pelos salários e poucos jogos do meia-atacante pelo Grêmio.

Na Segunda Divisão, a direção gaúcha resolveu não seguir com o caríssimo atleta. E está acertando a liberação para ele que vá atuar no Los Angeles Galaxi. 

Apenas exige que ele não volte nos próximos anos a um clube brasileiro.

Douglas Costa aceita a imposição.

Quer sair do país.

Sabe que não voltará para a seleção, acabou o sonho de disputar a Copa do Catar.

O melhor a fazer é convencer a Juventus a emprestá-lo ao futebol norte-americano.

Casar no Copacabana Palace.

E seguir sua vida, bem longe do Grêmio.

Douglas Costa e a direção do clube estão profundamente arrependidos.

O retorno foi um erro histórico...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas