Cosme Rímoli Dirigentes de futebol torcem pela saída do ministro Mandetta

Dirigentes de futebol torcem pela saída do ministro Mandetta

Radical em relação à pandemia, Mandetta estabelece medidas restritivas ao futebol. Sem ele, a esperança é que o governo libere a volta do esporte

  • Cosme Rímoli | Do R7

Saída de Mandetta do Ministério da Saúde pode ajudar volta do futebol

Saída de Mandetta do Ministério da Saúde pode ajudar volta do futebol

Reprodução Twitter

São Paulo, Brasil

"Quando você proíbe uma partida de futebol, entre outros, você parte para um histerismo.

"(...) Poderiam vender um percentual de ingressos pelo menos.

"Levando-se em conta a quantidade de pessoas que comportam nas arquibancadas e não partir para proibir isso ou aquilo."

As palavras do presidente Jair Bolsonaro, ditas há exatamente um mês, ainda repercutem na Federação Paulista de Futebol.

A esperança de pessoas ligadas à cúpula da entidade, para o retorno mais rápido do Campeonato Paulista, do futebol no país, passa por Bolsonaro.

E pela escolha do seu novo ministro da Saúde.

Assim como na Federação Carioca.

E na própria CBF.

Há a certeza que a rigidez no confinamento, que impede a volta do futebol, passa pelo ministro Luiz Henrique Mandetta.

Mandetta sofre um processo de desgaste com Bolsonaro.

E pode ser demitido, ou entregar o cargo, entre hoje e sexta-feira.

"São sessenta dias tendo de medir palavras.

"Você conversa hoje, a pessoa entende, diz que concorda, depois muda de ideia e fala tudo diferente.

"Você vai, conversa, parece que está tudo acertado e, em seguida, o camarada muda o discurso de novo.

Já chega, né?

"Já ajudamos bastante", desabafou o ministro à Veja, ontem no final da noite.

Pode ter tido o peso de seu último desabafo.

Bayern voltou aos treinos, em plena pandemia, jogadores  distantes

Bayern voltou aos treinos, em plena pandemia, jogadores distantes

Bayern

O clima está insustentável.

Há em várias Federações que, saindo Mandetta, o futebol brasileiro seguirá o alemão, que já liberou os clubes para a retomada do campeonato germânico, mesmo com a pandemia do coronavírus.

Bolsonaro, assim como Donald Trump, aprovaria o futebol disputado sem público, como uma forma de tirar a tensão da população confinada.

Mas para isso, a saída de Mandetta é fundamental.

O atual ministro não aceita a volta de eventos esportivos.

Não enquanto o Brasil não superar o pico da pandemia que, para ele, acontecerá durante o mês de maio.

Tudo indica que a saída de Mandetta será apenas uma questão de horas.

Para entusiasmo de pessoas ligadas à FPF

À FERJ.

E à CBF...

(E a torcida deu certo.

Mandetta foi demitido.

O oncologista Nelson Luiz Sperle Teich é o novo ministro da Saúde.

Para ele, saúde e economia 'não são antagônicas'.

Os dirigentes podem ter esperanças...)

Últimas