Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Direção do Palmeiras se irrita com ataque xenofóbico de Gobbi, ex-presidente do Corinthians a Abel Ferreira. E estuda processá-lo

O ex-presidente do Corinthians, Mario Gobbi, decidiu atacar Abel Ferreira. Disse que ele é 'um português', que manda nos árbitros e na imprensa. Leila Pereira está irritadíssima. E manda estudar um possível processo

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

"Aí vem um português e manda no árbitro. Agride o jogador do São Paulo. Nada acontece", acusa Gobbi
"Aí vem um português e manda no árbitro. Agride o jogador do São Paulo. Nada acontece", acusa Gobbi "Aí vem um português e manda no árbitro. Agride o jogador do São Paulo. Nada acontece", acusa Gobbi (Corinthians)

São Paulo, Brasil

"Aí vem um português aqui e manda no árbitro, agride o jogador do São Paulo, ofende o árbitro, c... na cabeça da Federação e da CBF. E todo mundo baba ovo para ele. Ele é competente, mas calma, aqui tem uma cultura, tem futebol. Os outros técnicos estão começando a bater nos árbitros também. Se o 'senhor' Abel pode fazer isso, os outros também podem.

"Esse cara pensa que é o quê aqui? Ele apita jogo, fala mal da Federação… Se você não gosta de como é aqui, vai embora. Vai treinar o Almería ou quem ele queira. Ele ataca a imprensa, agride nas coletivas, é desrespeitoso com os jornalistas…

"E ninguém fala nada, está tudo bem. "O que ele fez com o Calleri, e ninguém falou nada. Estamos aqui sem lei, sem ordem, sem organização, cada um faz o que quer. Uma série de amadores cuidando de futebol.

Publicidade

"Salve-se quem puder!"

O ataque do ex-presidente Mario Gobbi a Abel Ferreira, em um podcast, atingiu em cheio a cúpula palmeirense.

Publicidade

A presidente Leila Pereira ficou revoltada quando soube do ataque.

O ponto da xenofobia, ou seja, a rejeição a Abel Ferreira, por ser português, é algo sempre levantado no Palmeiras.

Publicidade

E a reação de Leila é sempre a mesma.

Acionar o departamento jurídico do clube.

Publicidade

O Palmeiras divulgou uma nota oficial, protestando contra Gobbi, que, além de ex-presidente corintiano, é ex-diretor do Detran e delegado em São Bernardo do Campo.

A nacionalidade de Abel Ferreira foi mencionada em alguns ataques que recebeu, nestes quase três anos e meio que está no Palmeiras.

E Leila sempre foi firme nas cobranças.

Desta vez, ela ficou ainda mais ofendida porque Gobbi é um ex-dirigente. E do Corinthians, com quem sempre buscou ter uma relação de respeito.

A presidente mandou os advogados do departamento jurídico estudarem se é ou não o caso de um processo contra Gobbi. Por xenofobia.

Gobbi reclama que Abel 'agrediu Calleri'. O que não é verdade. Situação irritou ainda mais Leila Pereira
Gobbi reclama que Abel 'agrediu Calleri'. O que não é verdade. Situação irritou ainda mais Leila Pereira Gobbi reclama que Abel 'agrediu Calleri'. O que não é verdade. Situação irritou ainda mais Leila Pereira (GUILHERME VEIGA/UAI FOTO/ESTADÃO CONTEÚDO - 11.06.2023)

Como aconteceu nos outros casos, Abel Ferreira decidiu não se manisfestar publicamente.

Pelo menos, por enquanto.

O lado esportivo do ataque é muito bem entendido pela Comissão Técnica palmeirense.

A análise fria é que Gobbi tentou criar um clima ruim para o treinador palmeirense junto aos árbitros.

E junto aos jornalistas.

A atual direção corintiana, presidida por Augusto Melo, já mandou mensagens para o comando palmeirense. Antecipando que não compactua com o pensamento do ex-presidente.

A intenção é evitar um clima ruim entre os clubes, que negociam a transmissão dos seus jogos a partir de 2025.

Conselheiros palmeirenses juram que nunca viram Leila Pereira tão revoltada.

Outros ataques ligados à xenofobia foram de jornalistas e do treinador Jorginho, ex-lateral tetracampeão do mundo.

A nota oficial repudiando as palavras de Gobbi está publicada abaixo.

Mas a presidente do clube está longe de se mostrar satisfeita.

Ele pensa em uma ação exemplar para acabar com esses ataques.

"É lastimável que tenhamos de nos manifestar novamente contra declarações levianas – e de cunho xenófobo – endereçadas ao técnico Abel Ferreira.

"No Palmeiras desde 2020, Abel nunca agrediu qualquer outro profissional e sempre se empenhou em contribuir com o futebol brasileiro, valorizando as nossas virtudes e propondo as melhorias indispensáveis para crescermos. Não satisfeito, escreveu um best seller que, por meio dos royalties gerados, já beneficiou centenas de jovens atendidos por entidades assistenciais, demonstrando assim gratidão ao povo brasileiro e respeito pelo país que tão bem acolheu sua família.

"Dessa maneira, repudiamos veementemente as afirmações irresponsáveis e preconceituosas feitas pelo ex-presidente do Corinthians, Mário Gobbi, cuja conduta foi incompatível com a importância do cargo que outrora ocupou, bem como com o momento de extrema violência que vivemos no futebol e no mundo."

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.