Depois do jejum, CBF anuncia overdose de futebol no Brasil

Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores, Copa Sul-Americana, Eliminatórias. Jogos em cima de jogos. De agosto até fevereiro de 2021. Será caótico

Jogadores previam. Mas o calendário será ainda mais puxado. Até fevereiro de 2021

Jogadores previam. Mas o calendário será ainda mais puxado. Até fevereiro de 2021

Grêmio

São Paulo, Brasil

Depois do jejum de quatro meses, com exceção do Rio, virá a overdose de futebol no país.

A CBF acaba de divulgar seu calendário.

Serão jogos em cima de jogos, para compensar o período parado pela pandemia.

A entidade avisou que estarão liberadas as cinco substituições, permitidas por esta temporada pela Fifa, para evitar o desgaste dos elencos.

O Brasileiro não terminará no início de dezembro, mas invadirá 2021, terminará em fevereiro.

O  início será mesmo no dia 9 de agosto e irá terá a última rodada no dia 26 de fevereiro.

Com jogos até nos dias 26 e 27 de dezembro.

E dois e três de janeiro.

Os atletas de todos os clubes da Série A tiveram a antecipação da férias exatamente pelo calendário apertado.

A Copa do Brasil recomeçará no dia 26 de agosto e irá até 10 de fevereiro.

Com semifinal marcada para o dia 30 de dezembro!

Além dessas duas competições, há ainda a Libertadores e a Copa Sul-Americana, que a Conmebol estuda divulgar as datas em breve. E que também deverão romper 2021.

Calendário será problema grave para veteranos como Daniel Alves, 37 anos

Calendário será problema grave para veteranos como Daniel Alves, 37 anos

Reprodução Twitter

Além disso, há as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022.

As datas reservadas para as rodadas da Seleção Brasileira: nos dias 3 e 8 de setembro, 8 e 13 de outubro, e 12 e 17 de novembro.

O Brasileiro e a Copa do Brasil não serão paralisados por conta das Eliminatórias.

Há um movimento na CBF para tentar diminuir ao máximo as datas dos Estaduais de 2021.

Para não prejudicar o calendário nacional do próximo ano.

Apesar da pressão de grande parte da imprensa, o presidente Rogério Caboclo não quis nem pensar em adequar o calendário brasileiro ao europeu.

Facilitaria transações, excursões, evitaria desfalques no meio de torneios nacionais.

A chance que a pandemia trouxe foi ideal.

Mas foi jogada fora.

Mais uma vez...

Clubes apostam no digital para minimizar impactos da pandemia