Cosme Rímoli Depois de tantas derrotas, esporte da Globo celebra cura de câncer de Caio

Depois de tantas derrotas, esporte da Globo celebra cura de câncer de Caio

Depois de perder o direito de inúmeras transmissões, acabando de vez com seu monopólio no futebol, a Globo festeja a cura de Caio Ribeiro. Ele não seguirá o caminho de Arnaldo Cesar Coelho

  • Cosme Rímoli | Do R7

A felicidade de Caio Ribeiro em anunciar sua cura do câncer. Alívio na Globo

A felicidade de Caio Ribeiro em anunciar sua cura do câncer. Alívio na Globo

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Depois da aprovação da Lei do Mandante, de perder os direitos da Libertadores, do Campeonato Paulista, Copa América, jogos da Seleção nas Eliminatórias, Fórmula 1, temer a disputa pela Copa do Brasil, ter sofrido demissões para baixar salários, o combalido esporte da Globo teve sua melhor notícia.

Foi no final da semana passada.

Caio Ribeiro, fiel à cúpula da emissora, que o protegeu quando foi diagnosticado com Linfoma de Hodgkin, câncer no sistema linfático, retribuiu o suporte que recebeu. A doença só foi revelada, quando ele já estava no estágio final do tratamento. Até por uma questão de privacidade, dar tranquilidade ao comentarista e sua família.

Na semana passada, ele deu a notícia. Estava completamente curado. O que trouxe enorme alegria e alívio para os seus companheiros de trabalho.

"Pessoal, não via a hora de gravar esse vídeo para dizer que acabou. Sexta-feira eu fiz o exame que constatou que não existe mais nenhum linfoma no meu corpo. Zerado, não existe mais chance do câncer continuar. Sucesso total do tratamento.

"Estou aqui para agradecer essa onda de apoio, a todos que me colocaram em suas orações. E agora eu tenho uma radioterapia como prevenção , mas que cheio de saúde a vida segue! Já já estou de volta ao estúdio. Muito obrigado, Vocês me ajudaram a passar por isso de maneira muito mais leve. Acabou!", publicou ontem nas suas redes sociais.

A doença foi diagnosticada antes das Olimpíadas de Tóquio. Mas o comentarista decidiu com os médicos só fazer a quimioterapia, coquetel de medicamentos que destroem as células cancerígenas, mas debilita o paciente, após a competição.

Galvão Bueno, assumidamente, nunca superou a saída de Arnaldo das transmissões da Globo

Galvão Bueno, assumidamente, nunca superou a saída de Arnaldo das transmissões da Globo

Reprodução/Sportv

Combinou com o esporte da emissora carioca e foi assim que aconteceu.

A emissora, inclusive, quebrou seu padrão, quando Caio estava na reta final da sua recuperação, permitindo que ele trabalhasse careca e assumidamente com câncer. A queda de cabelos é um reflexo comum da quimioterapia.

A última experiência que a Globo havia tido com a doença no esporte havia sido traumática. O ex-árbitro Arnaldo César Coelho foi diagnosticado, aos 76 anos, com câncer na próstata. Foi o sinal para que, depois de 29 anos de emissora, analista de arbitragem, e companheiro de Galvão Bueno, decidisse não só se operar.

Como também deixar de trabalhar na emissora carioca, para ficar com a família.

"Eu tinha que viver com a família, porque foram 50 anos sem final de semana. Eu nunca assisti um jogo no estádio", contou, relatando como descobriu a doença. "Coincidência agradavel e desagradável. Agradável porque foi descoberto, desagradável porque você sofre um pouco.

"Em outubro (de 2018) eu tinha sido convidado para fazer a campanha Novembro Azul, de prevenção do câncer de próstata, apareci em tudo que é estação de televisão, rádio,  falando 'olha a próstata mata brasileiros, você tem que fazer exame de próstata, a regra é clara", brincou Arnaldo, ao Sportv.

A operação foi um sucesso, Arnaldo Cesar Coelho pôde se dedicar aos familiares e à sua retransmissora da emissora carioca, a TV Rio Sul.

Caio Ribeiro tem 30 anos a menos do que o ex-árbitro.

Tem 12 anos de emissora.

E, recuperado, seguirá trabalhando como comentarista.

A notícia trouxe alívios aos companheiros, principalmente Galvão Bueno, que estava muito preocupado em perder outro colega por conta do câncer.

Mas Caio, curado, seguirá trabalhando.

A notícia chega como um bálsamo, neste ano tão difícil.

Alívio não só para a Globo.

Caio Ribeiro tem muito respeito dos colegas, inclusive de outras emissoras e veículos de comunicação, pela postura fraterna, sem afetação, arrogância como alguns que o cercam...

Fim de semana das zebras pelo mundo! Veja 7 destaques

Últimas