Cosme Rímoli Corinthians tenta despachar Luan todos os dias. É a negociação mais constrangedora da história do clube. Custará R$ 65,4 milhões

Corinthians tenta despachar Luan todos os dias. É a negociação mais constrangedora da história do clube. Custará R$ 65,4 milhões

Ganhando R$ 800 mil por mês, desde janeiro de 2020, Luan foi um dos motivos da renúncia do ex-diretor de futebol Roberto de Andrade. Organizadas não o querem. Diretoria não consegue vendê-lo, emprestá-lo. Nem rescindir contrato

  • Cosme Rímoli | Do R7

O Corinthians tenta se livrar de Luan todos os dias. Mas não consegue. Ele ganha R$ 800 mil mensais
O Corinthians tenta se livrar de Luan todos os dias. Mas não consegue. Ele ganha R$ 800 mil mensais Corinthians

São Paulo, Brasil

Três anos e quatro meses.

Apenas nove gols e cinco assistências.

Investimento: R$ 29 milhões por 50% dos direitos comprados do Grêmio.

Mais 40 meses de salários.

R$ 800 mil a cada 30 dias.

Para a conta bancária do meia-atacante, foram R$ 32 milhões.

Restam ainda oito meses de contrato, ou seja, mais R$ 6,4 milhões.

Ou seja, Luan receberá R$ 36,4 milhões por quatro anos de contrato com o Corinthians.

A última vez que ele entrou em campo com a camisa branca e preta foi em fevereiro de 2022.

Por todos os motivos, essa é a transação mais desmoralizante da história do clube.

"Quase diariamente escutamos outros clubes e mesmo com esse esforço não temos nenhuma outra opção para se livrar desse custo."

A confissão é do presidente Duílio Monteiro Alves.

O dirigente segue buscando um clube da Série A que aceite dividir ou ao menos pagar parte do salário do jogador.

Só que Luan só aceita atuar em clube que considerar grande.

Não aceita disputar a Série B.

A situação é tão complexa que Duílio Monteiro Alves pôs um psicólogo à disposição do jogador, como revelou à rádio Transamérica.

A queixa, desde que chegou ao Corinthians, é a mesma. 

Os técnicos que passaram no clube desde dezembro de 2019, quando ele foi contratado, tiveram a mesma queixa. Falta de entusiasmo, vibração, agilidade para escapar da marcação. Nos treinos ele é constantemente anulado por garotos da base.

Não é nem sombra do jogador mais importante na conquista da Libertadores de 2017, por parte do Grêmio.

Médicos e preparadores físicos do Corinthians garantem que ele não tem problema algum.

Ele está treinando em separado desde que voltou do Santos, depois de um curto período de quatro meses emprestado ao Peixe. Fez oito partidas. Marcou um gol e deu uma assistência apenas. Acabou na reserva dos reservas. Foi devolvido.

Diante desse quadro, o ex-diretor de futebol do clube Roberto de Andrade havia tomado uma decisão.

Reintegrá-lo ao elenco.

Só que as lideranças das organizadas não aceitaram.

Consideraram que ele tinha se "aproveitado da situação" e recusado inúmeros pedidos de rescisão de contrato feitos pela direção do clube.

Roberto de Andrade insistiu, quis mostrar força, afinal, havia sido presidente do Corinthians.

Adilson Monteiro Alves estava viajando.

No dia 17 de março, vândalos infiltrados nas organizadas invadiram o CT do clube. E avisaram que exigiam Roberto de Andrade longe do clube.

E não aceitariam a reintegração de Luan.

Foi exatamente o que aconteceu. 

Roberto de Andrade renunciou quatro dias depois da invasão.

E Duílio Monteiro Alves sepultou o plano de reintegração de Luan.

Ele segue treinando à parte e recebendo seu salário em dia.

O Corinthians, legalmente, nada pode fazer.

Ele tem contrato ativo até dezembro de 2023.

O erro enorme de avaliação foi do ex-presidente Andrés Sanchez.

Mas foi o clube que pagou R$ 29 milhões ao Grêmio.

E comprometeu mais R$ 36,4 milhões de salários.

Ou seja, comprometeu R$ 65,4 milhões com Luan.

Não é à toa que Duílio tenta se livrar dele todos os dias.

E não consegue...

Messi, Modric ou Dudu! O que o Corinthians poderia ter feito com a grana investida em Luan?

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas