Cosme Rímoli Corinthians já tem substituto se Carille decidir ir para Arábia

Corinthians já tem substituto se Carille decidir ir para Arábia

Diretoria diz que decisão de ir ou não para o Al-Hilal da Arábia é de Carille. Não haverá aumento. Se ele sair, Osmar Loss, seu auxiliar, assume o time

Andrés Sanchez garante que a decisão de sair está nas mãos de Carille

Andrés Sanchez garante que a decisão de sair está nas mãos de Carille

Agência Corinthians

A direção do Corinthians não tem o que fazer.

Está nas mãos de Fábio Carille continuar ou não no Parque São Jorge. 

Andrés Sanchez avisou que o clube não tem nem como sonhar em cobrir a proposta do Al-Hilal, da Arábia Saudita. A oferta é algo assombroso. De acordo com conselheiros importantes, da situação e da oposição, a proposta bate nos R$ 13 milhões anuais. E seria de duas temporadas. Ou seja, R$ 26 milhões.

Algo como um milhão e oitenta mil a cada 30 dias. Ele tem contrato com o Corinthians até dezembro de 2019. E recebe R$ 300 mil mensais. A proposta é mais do que o triplo.

A multa para sua saída é baixa para os padrões da Arábia Saudita, dois salários. R$ 600 mil.

Andrés já avisou que não tem o que fazer se Carille decidir sair. E que manterá a estrutura atual. Não contratará treinador algum 'de fora'. Deverá tentar repetir a fórmula que deu certo com o próprio Carille. 

Osmar Loss, que fez excelente trabalho na base e se tornou auxiliar do treinador, seria promovido a técnico principal. Ele tem excelente relação com os jogadores. E até melhor relação com Andrés do que o próprio Carille.

O técnico corintiano já recusou proposta do Atlético Mineiro e travou sondagem do Flamengo. Ele disse publicamente que não trocaria o Corinthians por uma equipe brasileira. E que cumpriria seu contrato até 2019. 

Mas não contava com essa proposta inesperada.

Carille está na Venezuela com o time, que hoje enfrenta o Deportivo Lara, pela Libertadores.

"Eu viajei pra cá e não falei com meus empresários, Tenho recebido muitas propostas e recusado todas. Essa que aconteceu nas últimas horas eles não falaram ainda, mas me conhecendo, eles me chamarão para conversar na segunda-feira", disfarçou, em entrevista à TV Globo.

É evidente que sabe de todos os detalhes da proposta. Em março de 2017, ele fechou contrato com o empresário Paulo Pitombeira. Ele não queria se desgastar negociando reformas de contrato com o Corinthians. E também queria um intermediário caso surgissem convites de outras equipes.

Osmar Loss fez ótimo trabalho na base. E tem perfil parecido com o de Carille

Osmar Loss fez ótimo trabalho na base. E tem perfil parecido com o de Carille

Reprodução Twitter

A esperança corintiana é que, segundo a imprensa árabe, o Al-Hilal, teria quatro alvos. O treinador do Sporting, Jorge Jesus, seria um deles. E ele já deixou certo que não seguirá no clube português. A saída saiu pela decepção da não classificação para a Liga dos Campeões. Mais as agressões de cerca de 40 vândalos que invadiram o clube e agrediram os jogadores e o próprio treinador.

Carille está desde 2009 no Corinthians. Foi auxiliar de Tite, Mano Menezes, Oswaldo de Oliveira, Cristóvão. Assumiu o cargo de treinador efetivo em janeiro de 2017. Desde então, venceu os dois Paulistas e o Brasileiro.

O técnico vive um momento complicado. Tem um elenco com poucas peças de reposição. Por causa do estádio, a diretoria não tem dinheiro para grandes contratações. Perdeu peças fundamentais do time campeão brasileiro de 2017. Jô e Arana. Maycon já foi vendido para o Shakhtar Donetsk. Rodriguinho e Fagner também podem sair nesta janela do meio de ano.

Carille tem plena consciência que será difícil vencer outra vez o Brasileiro este ano. Por conta do elenco pequeno. Suas apostas são nos torneios com menos jogos: a Libertadores e a Copa do Brasil.

Andrés Sanchez não o consultou quando trouxe : Matheus Matias, Marllon, Thiaguinho e Bruno Xavier como reforços. Carille havia pedido Henrique Dourado e Gustavo Scarpa no início do ano.

A situação deverá se resolver nas próximas horas.

Dependerá se o Al-Hilal confirmar que Carille é prioridade.

Andrés Sanches não fará leilão para tentar segurar Carille

Andrés Sanches não fará leilão para tentar segurar Carille

Reprodução/Youtube

E a proposta não é apenas uma consulta, uma sondagem.

Os dirigentes corintianos acreditam que, se for para valer, ele sai.

Mas não haverá medo, tensão.

Osmar Loss assumiria imediatamente sua vaga.

Seriam R$ 26 milhões até junho de 2020. 

Contra R$ 5,7 milhões até dezembro de 2019.

O Corinthians não dará qualquer aumento.

A decisão está nas mãos de Carille...

    Access log