Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Corinthians 'adulto' com António Oliveira. Vitória e sobrevivência na Copa do Brasil. 2 a 0 contra o competitivo São Bernardo

O Corinthians pragmático e organizado de António Pereira se impôs diante do competitivo, mas afobado, time de Zanardi. Vitória que trouxe dinheiro, sobrevivência na Copa do Brasil, e muito alívio no Parque São Jorge

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Yuri Alberto celebra não só o gol. Mas o renascimento do Corinthians, com António Oliveira
Yuri Alberto celebra não só o gol. Mas o renascimento do Corinthians, com António Oliveira Yuri Alberto celebra não só o gol. Mas o renascimento do Corinthians, com António Oliveira (Copa do Brasil/CBF)

São Paulo, Brasil

Maycon se contunde no aquecimento.

O garoto, de 19 anos, Breno Bidon, começa como titular.

Garro, que fazia ótima partida, é expulso no final do primeiro tempo.

Publicidade

De maneira completamente equivocada, pelo árbitro Braulio da Silva Machado.

As torcidas organizadas corintianas começam a jogar sinalizadores, quando o time dominava o São Bernardo.

Publicidade

António Oliveira toma cartão vermelho aos 35 minutos do segundo tempo.

Mesmo com todas essas dificuldades, o Corinthians se superou.

Publicidade

E venceu uma partida importantíssima na temporada.

Marcando a retomada, após o péssimo período sob o comando de Mano Menezes, que custou a eliminação do Campeonato Paulista, ainda na fase de grupos.

A vitória por 2 a 0, em pleno acanhado estádio Primeiro de Maio, em São Bernardo, garantiu a classificação do time para a quarta fase da Copa do Brasil. 

E ainda garantiu algo que o Corinthians precisa muito: dinheiro. A classificação valeu R$ 2,2 milhões, oferecidos pela bilionária CBF, aos clubes que ultrapassaram essa fase da competição. 

Mais do que o dinheiro, das expulsões bobas, o que marcou hoje à noite, foi o renascimento do Corinthians. Uma equipe muito mais consciente em campo, longe de estar perfeita, mas com um desenho tático definido. 

Sem medo de ter os seus dois artilheiros juntos. Pedro Raul infitrado no meio, como centroavante dos anos 90, e Yuri Alberto, onde rende mais, com liberdade para flutuar pelo ataque, sem estar de costas para o gol, como atuava com Mano Menezes.

Antes da partida, o favorito era o São Bernardo, com ótimo trabalho de Márcio Zanardi, que foi convidado para assumir o Corinthians, antes de António Oliveira,e só não foi porque já havia comandando seu time no Paulista.

No dia 27 de janeiro, o São Bernardo venceu o Corinthians por 1 a 0, mesmo tendo seu volante Rodrigo Souza expulso aos 14 minutos do primeiro tempo. Mano era o técnico.

Hoje, menos de dois meses depois, o time de António Oliveira venceu por 2 a 0, gols de Yuri Alberto e Pedro Raul, sua dupla de atacantes.

"O António está nos dando um gás, um ânimo grande, nosso dia a dia está alegre, diferente. Isso traz alegria para dentro de campo, a gente consegue demonstrar da melhor maneira", resumia, empolgado, Yuri Alberto, que parece outro jogador sob o comando treinador português.

António Oliveira deu organização ao time. Mas se deixou levar pelos nervos. Foi expulso
António Oliveira deu organização ao time. Mas se deixou levar pelos nervos. Foi expulso António Oliveira deu organização ao time. Mas se deixou levar pelos nervos. Foi expulso (Corinthians)

A partida foi muito tensa.

Mas teve um lance capital, logo aos dois minutos de jogo, que acabou sendo decisivo.

Raniele foi ajudar o ataque corintiano e sofreu um pontapé ingênuo, tolo do precipitado Arthur Henrique. 

Pênalti indiscutível.

Yuri Alberto cobrou com maestria.

Corinthians 1 a 0.

O gol contribuiu para o enredo da partida de forma dramática.

Deu confiança ao time de António Oliveira e trouxe total afobação para a equipe de Zanardi.

A equipe do ABC tentou adiantar suas linhas, mas não conseguia passar pelo congestionamento nas intermediárias planejado pelo treinador corintiano. Raniele, Breno Bidon, Garro e Wesley, que ajudou muito na marcação, para explodir nos contragolpes, tiveram atuações muito efetivas.

Fagner e Hugo mantinham mais as posições defensivas. Procurando travar o início das famosas triangulações pelos lados do campo, do São Bernardo.

Aos 25 minutos, Wesley foi cruzar, a bola desviou na zaga e chegou no pé direito de Pedro Raul, que só desviou de Alex Alves, 2 a 0, Corinthians.

A partida seguiu disputada, brigada e até feia, sem grandes chances. Se encaminhava para o final do primeiro tempo, quando Braulio de Silva Machado resolveu uma confusãona área corintiana, com cartões amarelos. Ele não percebeu que Garro havia sido só empurrado por Helder. E, como o argentino já tinha recebido o amarelo, foi expulso. De forma injusta, inaceitável.

Pedro Raul marcou o segundo gol, que desestruturou, de vez, o São Bernardo. Aos 25 do primeiro tempo!
Pedro Raul marcou o segundo gol, que desestruturou, de vez, o São Bernardo. Aos 25 do primeiro tempo! Pedro Raul marcou o segundo gol, que desestruturou, de vez, o São Bernardo. Aos 25 do primeiro tempo! (Rodrigo Coca/Corinthians)

Zanardi empurrou de vez o São Bernardo no início do segundo tempo, para aproveitar ter um homem a mais. Só que a vantagem durou muito pouco. Porque o próprio Helder resolveu parar um contragolpe corintiano com o braço. Recebeu o seu segundo amarelo e foi embora.

O lance mexeu outra vez no emocional e na parte tática do São Bernardo. O Corinthians teve mais tranquilidade e mais consciência na marcação.

Quando a equipe travava, sem problemas, o tenso rival, suas próprias organizadas quase atrapalharam, jogando sinalizadores, de forma selvagem e sem propósito para o gramado. A partida foi paralisada e só prejudicou o Corinthians.

Mas o time, já sem António Oliveira, expulso por reclamação, conseguiu segurar a vitória importantíssima.

Cássio teve mais uma grande atuação.

"O Corinthians teve excelente organização da equipe, sob o ponto de vista praticamente não demos espaço ao adversário, que, salvo erro, chutou duas vezes ao nosso gol. Foi uma vitória maiúscula, da personalidade, do caráter, da qualidade, da estratégia e da organização.

"Os atletas são os grandes obreiros e artistas dessa classificação. Quero também agradecer o apoio da torcida que foi determinante para nos empurrar para um resultado que deixa orgulhosos a todos nós", comemorava Antônio Oliveira.

Ele saboreava a importantíssima vitória na sequência de seu trabalho. Uma nova eliminação do clube seria desastrosa, por todos os aspectos.

"Para mim, enquanto treinador, ter um pênalti não é atípico, a estratégia se mantém. A única situação que tivemos que nos reajustar foi a expulsão do Rodrigo (Garro).

"Fomos pragmáticos em relação ao que o jogo nos foi pedindo, enquanto treinador vou respondendo àquilo que observo. Fomos uma equipe muito adulta, muito pragmática em relação ao jogo, sabíamos para o que vínhamos e tínhamos o objetivo claro."

António Oliveira foi no ponto.

O Corinthians jogou como time adulto, consciente das suas próprias limitações.

Mas sem medo e organização.

Vitória mais do que justa, que ameniza o clima no Parque São Jorge.

O Corinthians está vivo na Copa do Brasil...

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.