Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Clubes preparam motim. Não querem jogar sem seus principais jogadores durante a Copa América. Emissoras de tevê não aceitam

Clubes não querem ficar sem seus atletas mais talentosos, no Brasileiro e na Copa do Brasil. Exigem que a CBF paralise os campeonatos enquanto a Copa América é disputada. Globo não aceita

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Arrascaeta e De la Cruz. Duas peças fundamentais do Flamengo que estarão na Copa América pelo Uruguai
Arrascaeta e De la Cruz. Duas peças fundamentais do Flamengo que estarão na Copa América pelo Uruguai Arrascaeta e De la Cruz. Duas peças fundamentais do Flamengo que estarão na Copa América pelo Uruguai (Flamengo)

São Paulo, Brasil

O fim do monopólio do futebol na tevê aberta.

O afastamento dos dirigentes da CBF, por conta dos escândalos seguidos.

A concorrência fortíssima do streaming.

Publicidade

A grave crise financeira da emissora.

Tudo isso junto fez com que os clubes tivessem coragem de se unir.

Publicidade

E enfrentar a TV Globo.

Os dirigentes das maiores equipes do país se juntaram para alterar o calendário do futebol brasileiro, que a emissora carioca elaborou com a CBF.

Publicidade

E envolve o Brasileiro e a Copa do Brasil.

A emissora dividirá o torneio nacional com a TNT, dona dos jogos do Athletico como mandante. E a Amazon Prime estará retransmitindo a Copa do Brasil.

Os treinadores pediram que, ao contrário do que foi divulgado no início do ano, as competições não sigam ao mesmo tempo da Copa América.

Por motivo óbvio: a ausência de seus jogadores convocados.

Na última data Fifa, nada menos do que 29 atletas, dos times que atuam no Brasil, foram chamados.

As equipes ficariam sem eles por quatro rodadas do Brasileiro.

E também nas oitavas e nas quartas da Copa do Brasil.

A notícia vazou na terça-feira.

Desde então, a emissora carioca tem insistido com a CBF.

Exige que o calendário seja mantido, porque já se comprometeu com patrocinadores.

E não há cabimento a alteração.

Os clubes prometem não ceder.

A Globo já foi muito mais fortes nas reivindicações.

Com os fracassos da Seleção, a CBF não teve o apoio da emissora.

Pelo contrário.

Virou alvo das grandes críticas.

O desgaste é grande.

E Ednaldo Rodrigues precisa do apoio dos grandes clubes para seguir no comando da entidade.

As conversas entre os dirigentes já estão adiantadas.

A CBF tem o grande entrave da falta de datas.

A confusão promete ser grande.

E o resultado, imprevisível...

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.