Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Leila incendeia o clima entre Palmeiras e São Paulo. 'Pedidos falsos de desculpas', acusou a dirigente

A direção do São Paulo acreditava que o clima com o rival Palmeiras estivesse calmo, com o pedido de desculpas de seu diretor, Belmonte, a Abel Ferreira. Mas Leila voltou a incendiar a relação 

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Leila Pereira e Julio Casares estavam próximos. Por conta do aumento de cotas das transmissões de jogos
Leila Pereira e Julio Casares estavam próximos. Por conta do aumento de cotas das transmissões de jogos Leila Pereira e Julio Casares estavam próximos. Por conta do aumento de cotas das transmissões de jogos (São Paulo)

São Paulo, Brasil

"Recentemente aconteceu um fato com um rival da gente e o que esperávamos é um julgamento.

"O que não pode acontecer são pedidos falsos de desculpas e abrindo precedentes muito complicados porque agora você pode xingar e só pagar uma multa e tudo bem.

"Estou falando do jogo contra o São Paulo.

Publicidade

“Agora é só xingar, pagar uma multa e está tudo bem.

"Eu fiquei revoltada com esse acordo.

Publicidade

"Tinha que pelo menos serem julgados, como o Abel sempre foi.

"Achei muito triste por que abre um precedente muito triste."

Publicidade

As declarações da presidente do Palmeiras, Leila Pereira, em um canal de TV, repercutiram muito mal no São Paulo. 

A direção do clube acreditou que o clima tenso contra o rival e, principalmente, o pedido de desculpas do diretor do clube, Carlos Belmonte, por ter xingado Abel Ferreira, tivessem sido suficientes. E as polêmicas acabariam.

Ainda mais às vésperas da fase decisiva do Campeonato Paulista.

Lembrando que o clube fez um acordo com o Tribunal de Justiça Desportiva para que as punições para Calleri, Rafinha, Rato, Julio Casares, Belmonte e o diretor-adjunto Fernando Ambrogi se transformassem em multa. 

O sexteto xingou e ameaçou o árbitro Matheus Candançan no clássico contra o Palmeiras, na primeira fase do Paulista, logo depois que o jogo acabou, no Morumbi.

Os jogadores corriam o risco de pegar até seis partidas de punição e perderem o restante do Paulista. E os dirigentes até 270 dias. Mas foi feito um acordo com o Tribunal de Justiça Desportiva da FPF. E a multa de R$ 205 mil resolveu toda a questão.

Quanto a Belmonte, ele xingou Abel Ferreira de 'português de m...'. Mas se retratou em vídeo, pedindo desculpas ao técnico. Desculpas que Leila classificou como 'falsas'.

A princípio, Casares, os demais dirigentes e os jogadores do São Paulo, não falarão nada contra a dirigente ou o Palmeiras.

Mas a tensão entre os dois clubes voltou.

Leila, que deseja mais um mandato como presidente, sendo franca favorita para ficar até o final de 2027.

Aproveitou a entrevista de hoje de manhã para destacar que segue ainda sendo perseguida, no futebol, por ser mulher.

"Até as críticas que recebo de parte da imprensa e de torcedores, se eu fosse homem, elas não aconteceriam.

"Tem determinadas atitudes de dirigentes homens de um histerismo absurdo, que se fosse uma mulher, ‘está louca, destemperada'."

Sobre Abel Ferreira, a confirmação do que o blog vem escrevendo, desde que Leila assumiu o cargo de presidente. Ou seja, sonha até o final de 2027.

"Meu desejo é, se eu for reeleita presidente do Palmeiras, que o Abel fique conosco até o último dia do meu mandato."

Palmeiras e São Paulo são os favoritos ao título do Paulista de 2024... 

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.