Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Ceni chama o torcedor para a briga. Técnico não suporta tanta pressão no São Paulo. Caos em Cuiabá

Fora os palavrões, a rejeição da torcida a Igor Gomes e a Jandrei, Ceni,o maior ídolo da história, não escapou de desrespeitosa cobrança. Perdeu a paciência e chamou torcedor para a briga, Esse é o clima no São Paulo

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli


Rogério Ceni discutindo, 'chamando para a briga' torcedor do São Paulo, que o desafiava. Caos
Rogério Ceni discutindo, 'chamando para a briga' torcedor do São Paulo, que o desafiava. Caos

São Paulo, Brasil

"Te espero lá dentro.''

Não há uma só letra de amistosa na frase dita por Rogério Ceni, ontem ao chegar a Cuiabá.

Ela foi direcionada a um torcedor são paulino que esperava a delegação.

Publicidade

Com a camisa do São Paulo, ele filmava o treinador e o cobrava pelo péssimo resultado do time, derrotado nas semifinais da Copa do Brasil, pelo Flamengo, e da Copa Sul-Americana, pelo Atlético Goianiense.

E que corre risco sério de encostar na zona de rebaixamento do Brasileiro, caso seja derrotado, hoje diante do Cuiabá.

Publicidade

Do outro lado do cercado, torcedores organizados do clube gritavam, xingavam, encarando Igor Gomes. Exigindo que fosse embora do São Paulo. Além de estar jogando mal, ele foi o grande responsável pela derrota para a Atlético Goianiense, por uma expulsão infantil.

O torcedor que resolveu encarar Ceni não só o questionava pelo fraco resultado, como 'proteger' Igor Gomes.

Publicidade

O técnico que já estava com os nervos à flor da pele, não teve dúvidas, foi em direção ao torcedor, com raiva baixou o seu celular, que o filmava.

E o 'convidou' para ir para dentro do lobby do hotel.

Convite nada amistoso que era o confronto físico.

Não foi aceito por conta dos policiais que protegiam a delegação.

Mas Ceni caminhou ouvindo palavrões dos torcedores.

Sim, esta é a situação do São Paulo. 

Quando o maior ídolo da história do clube é desafiado, xingado, a ponto de desafiar, chamar um torcedor aleatório, que o questiona, para a briga, é lastimável.

O presidente Julio Casares também só vai para jogos cercado de seguranças. O receio maior não é de torcedores adversários, como os de hoje, o do Cuiabá. Mas do próprio São Paulo.

Jandrei, de forma mais discreta que Igor Gomes, também foi xingado no desembarque ontem.

A principal torcida organizada do clube já tratou de resumir, nas redes sociais, a sua postura.

"Muito respeito com a camisa Tricolor

Canalhas !!!!

Igor Gomes querendo dinheiro para renovar contrato ?

Rogério Ceni mostrando teimosia mais uma vez ?

Se essa diretoria tiver vergonha na cara, já afasta Igor Gomes.

"E se o Rogério tomar as dores manda ele embora também!"

O twitter foi postado logo após a derrota para o Atlético Goianiense.

Ou seja, o que aconteceu ontem em Cuiabá era previsível. Houve um grande erro da direção do São Paulo em não exigir um maior distanciamento dos seus torcedores.

As cercas de ferro não adiantaram. Foram colocadas muito perto do ônibus da delegação.

Será nesse clima de muita revolta, desrespeito e ira que o São Paulo irá enfrentar não só o Cuiabá hoje. Mas também quinta-feira, no Morumbi, na partida decisiva contra o Atlético Goianinense, com obrigação de vencer por mais de dois gols de vantagem, para se classificar.

Tudo o que Rogério Ceni avisou ao presidente Julio Casares que iria acontecer. O treinador havia antecipado, na montagem do elenco, que faltavam contratações importantes. Mas o dirigente alegou as contas do clube, com mais de R$ 700 milhões em dívidas. O que impossibilitaria a chegada de atletas de alto nível.

Igor Gomes arrasado pela expulsão infantil na semifinal da Copa Sul-Americana. Torcida não perdoa
Igor Gomes arrasado pela expulsão infantil na semifinal da Copa Sul-Americana. Torcida não perdoa

Ceni avisou publicamente várias vezes.

Só que o próprio sucesso do time na Copa do Brasil e na Copa Sul-Americana foram animando os torcedores. O vice campeonato paulista já foi uma vitória, apesar da perda da decisão para o Palmeiras, por 4 a 0. 

A instabilidade no Brasileiro era prevista, pela falta de um elenco homogêneo, competitivo.

Casares aceita a campanha, sabe que o time está no limite de suas forças. E chances reais de título, só na Copa Sul-Americana. Mesmo com a derrota por 3 a 1 para o Atlético Goianiense, o time de Eduardo Baptista é muito mais fraco que o São Paulo.

Já na Copa do Brasil, reverter o mesmo 3 a 1 para o Flamengo, no Maracanã, é considerado muito improvável, quase impossível.

Mas Rogério Ceni havia antecipado para a direção que a cobrança da torcida, principalmente da organizada, seria pesada. Não haveria compreensão. 

E é o que está acontecendo.

Só que, apesar de avisar, Rogério Ceni está sendo o primeiro a perder a paciência. Não suportou o desrespeito com que estão sendo tratado seus jogadores, principalmente Igor Gomes e Jandrei.

Para a partida de hoje, contra o Cuiabá, ele resolveu poupar quatro jogadores. Eles são fundamentais para seu time, mas terão de atuar na semifinal da Copa Sul-Americana.

Calleri, Diego Costa, Léo Pelé e Rodrigo Nestor não jogam. Além de Reinaldo, suspenso.

O time entrará em campo contra uma equipe que está na zona do rebaixamento, desesperada pela vitória em casa.

Rogério Ceni já está cedendo ao clima hostil.

Inseguro, nervoso, com falhas inaceitáveis, Jandrei também é alvo da torcida. Pode perder a posião
Inseguro, nervoso, com falhas inaceitáveis, Jandrei também é alvo da torcida. Pode perder a posião

Acostumado com conquistas no São Paulo, não se conforma com as cobranças dos próprios torcedores, do desrespeito ao clube. E a ele, por tudo que significou por 25 anos como maior ídolo da história.

Seu contrato vai até 2023.

Mas Ceni está tenso, nervoso demais.

Até os dirigentes estão surpresos com suas reações e cobranças.

Ou a situação se reverte no Morumbi, com a conquista de pelo menos a Copa Sul-Americana, ou Rogério Ceni pode até não seguir como treinador no próximo ano.

Sua paciência está no limite.

Ontem ele se aproximou perigosamente de um torcedor que o desafiava.

Baixou, à força, seu celular que o filmava.

E se houvesse reação física do são paulino?

Uma vitória hoje se tornou fundamental no Brasileiro.

Nova derrota e o clube ficará a um ponto da zona do rebaixamento...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.