Cosme Rímoli CBF conseguiu o tempo que queria para ter Ancelotti como técnico da seleção. Eliminatórias para a Copa, só em setembro

CBF conseguiu o tempo que queria para ter Ancelotti como técnico da seleção. Eliminatórias para a Copa, só em setembro

A CBF pressionou a Conmebol para que as eliminatórias não começassem antes do fim da temporada europeia. Porque quer Ancelotti como treinador. Jorge Jesus corre por fora. E haverá amistosos contra times do Velho Mundo

  • Cosme Rímoli | Do R7

A CBF ganhou o tempo que queria para ter Carlo Ancelotti no início das eliminatórias para a Copa

A CBF ganhou o tempo que queria para ter Carlo Ancelotti no início das eliminatórias para a Copa

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Vitória política, e importante, da CBF.

O presidente Ednaldo Rodrigues fez o máximo, na Conmebol, para que as eliminatórias da Copa do Mundo de 2026 só começassem no segundo semestre.

E conseguiu.

Embora a longa, e enfadonha, disputa dos países que vão para Estados Unidos, México e Canadá, daqui a três anos e três meses, vá travar o calendário, o adiamento era fundamental para os planos do Brasil.

A Conmebol já havia se preparado para começar a disputa neste mês. Depois passou para maio. Até que, finalmente, com a pressão, principalmente do Brasil, os jogos começarão em setembro.

O motivo?

A CBF quer esperar o fim da temporada europeia.

É de lá, do Velho Continente, que deseja seu treinador.

Carlo Ancelotti é a prioridade, não é segredo para ninguém.

Já houve contato com seu procurador.

Aliás, Frank Timboli veio ao Brasil para conhecer mais a fundo o futebol brasileiro. E analisar como seria a rotina do italiano, caso ele aceitasse treinar a seleção pentacampeã do mundo.

Há a possibilidade verdadeira de Ancelotti decidir sair do Real Madrid no fim da temporada europeia, em junho. E assumir a seleção.

Se Ancelotti não quiser, existe o interesse em Jorge Jesus. O sucesso do português no Flamengo ainda ecoa nos corredores da CBF. Jesus não renovará com o Fenerbhaçe.

Esses são os dois alvos principais de Ednaldo.

Um dos dois, o presidente tem a certeza que aceitará.

Outra vitória da CBF e da AFA foi a pressão exercida para que a Conmebol forçasse confrontos com seleções europeias na Uefa e na Fifa.

As datas reservadas são para quatro partidas. 

Duas em março de 2024 e duas em junho de 2024.

Com a Uefa mantendo a Liga das Nações, competição preparatória europeia, para o Mundial, que impossibilitava amistosos contra seleções sul-americanas.

Jorge Jesus não renovará seu contrato com o Fenerbahçe, da Turquia. Opção B, caso Ancelotti recuse
Jorge Jesus não renovará seu contrato com o Fenerbahçe, da Turquia. Opção B, caso Ancelotti recuse Fenerbahçe

As Eliminatórias Sul-Americanas terão 18 confrontos para cada seleção.

E, com o aumento de países no Mundial de 2026, de 32 para 48 países, o continente passará a ter 6,5 vagas. Ou seja, das 10 seleções da América do Sul, 6 conseguirão classificação direta. E 1 jogará a repescagem.

São vagas demais, tirará a competitividade das eliminatórias para países com fortes seleções, como a Argentina e o Brasil.

A Conmebol resolveu nem fazer sorteio dos jogos.

Serão repetidas as eliminatórias de 2022.

O Brasil fará sua estreia em casa, contra a Bolívia.

O baiano Ednaldo quer mais jogos do Brasil no Nordeste.

Deseja maior participação, ligação da população, com a seleção.

Para isso, o treinador que aceitar comandar o time terá de prestar muito mais atenção aos jogadores que atuam por aqui.

Fazer uma mescla maior com jogadores que atuam no exterior.

A CBF não tem do que reclamar em relação às eliminatórias para a Copa.

E celebrar a certeza de amistosos contra europeus, que eliminaram o país nos últimos cinco Mundiais.

Agora, só falta o desejo maior de 2023.

Carlo Ancelotti aceitar treinar a seleção brasileira...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas