CBF admite. Juiz e VAR ajudaram o Corinthians

Ouvidoria da CBF dá razão ao Atlético. Confirma o erro absurdo do árbitro e do VAR no jogo Corinthians e Atlético. Pênalti claro foi desprezado

  • Cosme Rímoli | Do R7

O pênalti indecente de Gil em Vargas. Ouvidoria deu razão ao Atlético

O pênalti indecente de Gil em Vargas. Ouvidoria deu razão ao Atlético

Pedro Souza/Atlético

São Paulo, Brasil

A CBF reconheceu o óbvio.

O VAR também falha.

O Atlético Mineiro entrou com representação contra Rodrigo Dalonso Ferreira e foi, que estava no comando do VAR, na partida contra o Corinthians, em Itaquera.

Houve um lance claríssimo, pênalti de Gil em Vargas.

O corintiano agarrou o atacante atleticano.

Rodrigo Ferreira estava próximo ao lance, não marcou.

E Pathrice Wallace Corrêa não corrigiu seu erro, apesar de as câmeras escancararem a penalidade, sobre todos os ângulos.

"O reclamante tem razão. (...)

“O atacante do reclamante (Vargas), quando já estava à frente do defensor adversário (Gil), foi claramente puxado pelo ombro esquerdo e com as duas mãos, o que caracterizou a falta, que se tornou mais evidente porque o corpo do atacante foi contorcido e caiu justamente no sentido do contato faltouso: para o lado esquerdo e para trás.

"Não se pode esquecer, ademais, que a camisa do atacante também foi puxada.

"Tratou-se, conclusivamente, da já famosa DOGSO (impedir com falta uma clara oportunidade de gol) e sem que houvesse disputa pela bola, impondo, assim, a punição com cartão vermelho direto, pois as infrações de mão/braço, empurrar e segurar, como foi o caso, não possibilitam que o cartão vermelho caia para cartão amarelo", sentenciou a ouvidoria.

DOGSO reúne as primeiras letras de “deny an obvious goal scoring opportunity” (impedir uma óbvia oportunidade de marcar).

O Atlético, no entanto, não conseguiu o direito de ouvir o diálogo entre Pathrice e Rodrigo Ferreira.

Como o time mineiro não levará adiante a questão.

Até porque ganhou o jogo.

Já conseguiu a admissão de erro.

E desmoralizou o VAR.

Ouvidoria da CBF admite que arbitragem e VAR ajudaram o Corinthians

Ouvidoria da CBF admite que arbitragem e VAR ajudaram o Corinthians

Reprodução/Twitter

Provou que o árbitro de vídeo pode falhar.

Foi o que aconteceu com Pathrice Wallace Corrêa Maia.

Ele pode ser punido, afastado do Brasileiro.

Gil fez tudo para segurar Vargas. Pênalti claríssimo, cristalino

Gil fez tudo para segurar Vargas. Pênalti claríssimo, cristalino

Bruno Cantini / Atlético

A revelação, com a publicação da decisão, foi do vice-presidente do Atlético, Lásaro Cândido.

A postura da ouvidoria da CBF fez justiça.

E deixou claro.

Os árbitros de vídeo não são intocáveis...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Já são 18 técnicos demitidos no Brasileirão. Confira!

Últimas