Cosme Rímoli Casemiro protege Neymar 'das pessoas más' que ironizaram sua contusão. E defende Daniel Alves, dos críticos de sua convocação

Casemiro protege Neymar 'das pessoas más' que ironizaram sua contusão. E defende Daniel Alves, dos críticos de sua convocação

Casemiro mostrou porque é um dos grandes líderes da Seleção Brasileira, aqui no Catar. Ele não se conformou com as 'pessoas más' que fizeram questão de ironizar o entorse de tornozelo de Neymar

Casemiro fez questão de defender Neymar e valorizar Daniel Alves

Casemiro fez questão de defender Neymar e valorizar Daniel Alves

Reprodução/Instagram

Doha, Catar

Casemiro é um dos principais personagens do Brasil na Copa.

Líder, melhor marcador na intermediária, e muito próximo de Neymar.

E jogador envolvido nas duas trocas obrigatórias que Tite fará contra a Suíça, na partida de segunda-feira.

Sua entrevista hoje foi reveladora.

Moistrou o quanto os jogadores ficaram chocados com a reação de pessoas na Internet ironizando o fortíssimo entorse no tornozelo direito que o deixará fora, pelo menos, do jogo contra a Suíça e Camarões.

"É uma pena, principalmente pessoas desejando o mal de outra. Mas, infelizmente, na vida temos isso, pessoas más no mundo, que desejam o mal do outro. Não vou comentar muito desse tema. Ficamos tristes, né. Não quero falar de brasileiro, europeu, qualquer cultura, estou falando de pessoas, educação, que vem de berço."

Casemiro deixou muito claro o quanto a contusão de Neymar abalou não só o jogador. Mas o grupo.

O volante também tratou de não aceitar as críticas à presença de Daniel Alves, 39 anos e dois meses sem jogar, no grupo que disputa a Copa do Mundo.

"Ele não veio aqui a passeio. A gente sabe a qualidade dele e ele já demonstrou isso para o mundo Se o treinador o trouxe, é porque sabe a qualidade do jogador e nós contamos com ele.“Claro que a característica dele é diferente do Militão. O Militão é mais defensivo, enquanto o Daniel Alves tem mais qualidade, tem um pé diferente."

A empolgação de Casemiro, por aqui, é com Lucas Paquetá.

Os dois juntos permitiram que o Brasil atuasse com quatro atacantes contra a Sérvia. E eles poderão voltar a se reunir, diante da Suíça.

"Sobre o Paquetá, dos últimos dois, três anos na Seleção, é o jogador que mais evoluiu, o jogador que mais correspondeu. É titular da equipe hoje e muito importante para nós. Ele é muito dinâmico, muito moderno, consegue jogar por fora, por dentro, de falso nove, e sempre que joga corresponde à altura. É um privilégio ter ele do nosso lado."

O treinamento da Seleção, aqui no Grand Ramade Stadium, CT do Al Arabic, foi fechado.

Danilo e Neymar estão contundidos e não jogarão contra a Suíça.

A tendência é que se jogar Daniel Alves, Fred deve entrar no meio-campo, para ajudar na marcação.

Caso Tite opte por Militão, Rodrigo entrará na vaga de Neymar.

O treinador da Seleção deixaria a equipe muito exposta com Daniel Alves e Rodrigo.

E muito defensiva com Militão e Fred.

O time já está definido.

Por enquanto, secreto.

Por enquanto...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas