Cosme Rímoli Casagrande foi demitido da Globo. Por insistir em misturar política com futebol. 'Alívio para os dois lados', resume o comentarista

Casagrande foi demitido da Globo. Por insistir em misturar política com futebol. 'Alívio para os dois lados', resume o comentarista

O comentarista deixou hoje a emissora carioca. Seu contrato terminaria depois da Copa do Mundo do Catar. Mas a situação foi ficando insustentável. Até que chegou ao fim

  • Cosme Rímoli | Do R7

Casagrande insistia em misturar política com futebol. Não quis recuar. Daí a demissão

Casagrande insistia em misturar política com futebol. Não quis recuar. Daí a demissão

Reprodução/TV Cultura

São Paulo, Brasil

"Vim aqui para comunicar que, depois de 25 anos de TV Globo, seis Copas do Mundo, cinco finais, incluindo a de 2002, com dois gols do Ronaldo, três Olimpíadas e diversas finais de campeonatos por aí, meu ciclo acabou. Estou saindo da TV Globo hoje. Não faço mais parte do grupo de esportes da TV e vou seguir minha estrada. Na realidade, acho que foi um alívio para os dois lados. Um beijo a todos."

(Versão de Walter Casagrande Júnior)

"Como jogador, Walter Casagrande Júnior escreveu uma história importante dentro de campo: ídolo do Corinthians, onde foi protagonista da Democracia Corintiana, teve passagem pelo futebol europeu e também defendeu a seleção brasileira na Copa do Mundo de 1986. Fora dos gramados, a trajetória foi também de sucesso. Há 25 anos ele exerce a função de comentarista, 24 deles na Globo. Um período marcado por grandes momentos, conquistas, emoções, superação e pela autenticidade, uma de suas marcas registradas. Em comum acordo, a parceria entre Globo e Casagrande chega ao fim, mas suas análises estarão para sempre marcadas no almanaque das transmissões de futebol da televisão brasileira."

(Versão da TV Globo)

Entre essas duas versões, há uma questão básica que não foi levada a público.

O motivo. Pessoas ligadas à emissora carioca deixam claro que o ex-jogador e comentarista estava falando muito mais de política do que de futebol.

E a alta cúpula da Globo não queria mais manifestações que saíssem da esfera do esporte. A recomendação já era antiga.

Mas Casagrande não recuava. 

A emissora acabou de lançar um documentário sobre a vida de Casagrande. Demissão não estava nos planos

A emissora acabou de lançar um documentário sobre a vida de Casagrande. Demissão não estava nos planos

Reprodução/Instagram

Pelo contrário. Com a proximidade das eleições presidenciais, ele vinha aumentando até a intensidade de suas palavras.

Seu contrato com a Globo iria vencer em dezembro, logo após a Copa.

Há uma ala na emissora que o considerava imprescindível, ainda mais com a anunciada saída de Galvão Bueno, após o Mundial do Catar.

Tanto é assim que o grupo Globo acabou de pôr no ar uma série que conta a vida do ex-jogador do Corinthians e da seleção brasileira. Com ênfase na sua luta contra a dependência química, que acabou até com internação.

Mas ficou claro que Casagrande decidiu não recuar.

Seguiria se posicionando politicamente, independentemente das ordens, não mais recomendações, da cúpula da emissora.

Daí, a antecipação da rescisão do contrato.

Ou seja, demissão.

A Globo perde seu melhor comentarista.

Casagrande promete que vai continuar a trabalhar...

'Barra da Tijuca pernambucana': condomínio de Luva de Pedreiro tem aluguéis de até R$ 35 mil; veja

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas