Cosme Rímoli Bilionário Flamengo, sem piedade dos familiares dos meninos mortos, no incêndio no Ninho do Urubu

Bilionário Flamengo, sem piedade dos familiares dos meninos mortos, no incêndio no Ninho do Urubu

O Flamengo conseguiu diminuir a pensão de R$ 10 mil reais para os familiares dos meninos mortos, que não aceitaram a indenização proposta pelo clube. O valor foi para cinco salários mínimos, R$ 5,5 mil

  • Cosme Rímoli | Do R7

Os meninos mortos no improvisado dormitório na concentração do Flamengo

Os meninos mortos no improvisado dormitório na concentração do Flamengo

Reprodução

São Paulo, Brasil

Se dentro do campo o Flamengo orgulha o futebol brasileiro, fora dele, segue sendo frio, calculista, insensível. O clube segue, com seu grupo de advogados renomados, importantes, enfrentando como inimigos os familiares dos dez meninos mortos no terrível incêndio no Ninho do Urubu, na madrugada de 8 de fevereiro de 2019.

Mesmo com a perspectiva de faturamento bilionário, o clube de maior torcida no país, age de forma inclemente. Com familiares que confiaram a vida de seus filhos, netos, sobrinhos ao Flamengo.

E o clube instalou esses meninos em um dormitório improvisado em contêineres, irregular, escondido da Prefeitura do Rio de Janeiro, que tinha registo de um estacionamento, jamais um dormitório.

Sem disfarce, os garotos morreram queimados ou intoxicados com a fumaça do incêndio provocado por um aparelho de ar-condicionado improvisado.

Seguindo uma linha firme de pagar o menos possível, o Flamengo conseguiu acordos com oito das dez famílias dos meninos mortos. 

Apenas os familiares de Cristian Esmério, de 15 anos, e de Rykelmo, 16 anos, não aceitaram o que o clube oferece.

O Flamengo conseguiu na Justiça a redução do pagamento de pensão mensal de R$ 10 mil enquanto a questão não é resolvida. Serão pagos apenas cinco salários mínimos. Ou seja, cerca de R$ 5,5 mil.

A Defensoria Pública do Rio de Janeiro e o Ministério Público do Estado irão ao Superior Tribunal de Justiça pedindo revisão da pensão aos familiares que não aceitaram o acordo proposto pelo Flamengo.

Não há previsão de quanto tempo levará esse acerto.

Pelo incêndio, 11 pessoas foram denunciadas pela justiça. E serão julgadas, podendo ficar presas entre três e seis anos. Entre elas está o ex-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, acusado de manter o dormitório clandestino.

A atual diretoria, de Rodolfo Landim, se recusou a construir um memorial para os meninos mortos, no Ninho do Urubu. O desejo é que a tragédia seja esquecida.

Apenas o Maracanã colocou uma placa em homenagem aos meninos.

Estes foram os garotos que perderam a vida dormindo no improvisado alojamento que o Flamengo oferecia,.

Athila Paixão, de 14 anos
Arthur Vinícius, 14 anos
Bernardo Pisetta, 14 anos
Christian Esmério, 15 anos
Gedson Santos, 14 anos
Jorge Eduardo Santos, 15 anos
Pablo Henrique da Silva Matos, 14 anos
Rykelmo de Souza Vianna, 16 anos
Samuel Thomas Rosa, 15 anos
Vitor Isaías, 15 anos.

Além deles, havia mais 16 meninos no dormitório. Três ficaram hospitalizados. O pior foi Jhonata Ventura, com queimaduras graves. Ele segue se recuperando e não conseguiu voltar a jogar.

Gol contra no último minuto e estreia de Messi: veja 7 destaques

Últimas