Cosme Rímoli Até que enfim, Daniel Alves mostrou porque voltou ao futebol brasileiro

Até que enfim, Daniel Alves mostrou porque voltou ao futebol brasileiro

Uma atuação impressionante do veterano capitão do São Paulo. Anulou Gerson. E ainda foi essencial em dois gols. Desempenho de dar orgulho

  • Cosme Rímoli | Do R7

Luciano reverenciando todo o talento de Daniel Alves. Finalmente brilhou

Luciano reverenciando todo o talento de Daniel Alves. Finalmente brilhou

Miguel Schincariol/São Paulo

São Paulo, Brasil

Daniel Alves.

37 anos.

Maior vencedor da história do futebol mundial.

40 títulos.

Venceu três Champions, três Mundiais de Clubes, hexacampeão espanhol,  campeão da Liga Europa, campeão italiano, bicampeão francês e campeão baiano.

Foi campeão em todos os clubes que jogou: Bahia, Sevilla, Barcelona, Juventus, PSG.

Milionário, com chance de atuar na China, no Oriente Médio, ganhando pelo menos o dobro do R$ 1,5 milhão que recebe atualmente, não quis.

Decidiu que iria jogar e conquistar com a camisa do time que sempre amou.

O São Paulo Futebol Clube.

Seu retorno, no meio do ano passado, vinha sendo frustrante.

Ele impôs atuar como meio-campo.

Não quis a lateral direita, onde foi o melhor do mundo.

Ele sabe que não tem mais fôlego, explosão muscular, para atuar na desgastante posição.

Com a dez nas costas e a tarja de capitão na manga esquerda, virou meio-campista e capitão do São Paulo.

Desde então, só decepções.

Com Daniel Alves, o clube, que está há oito anos sem conquistar um título, caiu no Brasileiro, no Paulista, na Libertadores, e na Copa Sul-Americana.

De capitão da conquista da Copa América, no ano passado, o veterano jogador deixou de ser convocado por Tite.

Daniel Alves se impôs no duelo com Gerson. Abriu o caminho da vitória do São Paulo

Daniel Alves se impôs no duelo com Gerson. Abriu o caminho da vitória do São Paulo

Alexandre Vidal/Flamengo

O São Paulo ainda tem nesta temporada duas competições. O Brasileiro e a Copa do Brasil.

Quando o Flamengo foi sorteado como adversário das quartas da Copa do Brasil, Daniel Alves se empolgou.

Sabia que, contra o time mais popular do país, ele poderia conseguir a sua redenção.

Ainda mais com a missão dada por Fernando Diniz.

O treinador o queria anulando Gerson, fundamental no início da construção das jogadas do Flamengo.

E ontem, no Morumbi, Daniel Alves conseguiu não só abalar psicologicamente o talentoso volante, como fez por duas vezes no Rio de Janeiro. No Brasileiro e na primeira partida das quartas.

Além de travar o flamenguista, o camisa 10 do São Paulo ainda teve participação efetiva, fundamental em dois gols, na goleada por 3 a 0.

No primeiro gol do jogo, ele conseguiu descobrir Luciano entre Thuler e Mateuzinho, com uma assistência na diagonal, perfeita.

E no terceiro, ele combateu Willian Arão. O árbitro Wilton Pereira não enxergou a falta de Daniel Alves, antes da bola chegar até Pablo, para marcar 3 a 0.

Se Luciano foi letal, marcando dois gols, o veterano capitão do São Paulo mostrou, finalmente, porque veio.

Teve uma atuação inesquecível.

O São Paulo está na semifinal da Copa do Brasil.

Com uma participação decisiva, de dar orgulho.

É esse brilho que o são paulino esperava.

De Daniel Alves.

Que ele mostrasse o caminho das vitórias.

Com personalidade, vibração, talento.

Finalmente mostrou a que veio...

Surto no esporte! Confira clubes que já sofreram baixas pela covid-19

Últimas