Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Até ‘laranja’ ameaça o Corinthians de processo milionário

Em uma reviravolta inesperada, a mulher humilde, apontada como laranja na intermediação do maior patrocínio da América Latina, de R$ 370 milhões, constituiu dois advogados. E eles ameaçam processar o Corinthians por ‘danos morais’ à sua cliente

Cosme Rímoli|Cosme RímoliOpens in new window

O nome de Edna foi usado como intermediário da negociação de R$ 370 milhões. Ela vive do Bolsa Família. Sustenta três filhos. Não tem marido

Reviravolta total no interminável caso VaideBet e Corinthians.

Edna Oliveira dos Santos ameaça, via advogados, processar o clube por danos morais.

Por ter seu nome usado em uma negociação que ela nem sabia que acontecia.

Consultados pelo blog, advogados não envolvidos com o caso acreditam ser possível uma compensação financeira milionária.

Publicidade

E acreditam que o departamento jurídico corintiano não terá outra saída a não ser repassar alguma significativa quantia à Edna.

Para evitar que a questão seja analisada pela Justiça.

Publicidade

A mulher, que vive em Peruíbe, com os três filhos, e depende do Bolsa Família para sustentar sua humilde casa, deu depoimento hoje para ao delegado Tiago Fernando Correia, da Delegacia de Crimes Financeiros do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania.

Depois de duas horas ouvindo Edna, o delegado ficou com a certeza que ela foi uma ‘vítima’ de um processo fraudulento.

Publicidade

A sua assinatura usada no contrato teria sido fraudada do registro do Bolsa Família.

Havia a certeza, de quem a burlou, que não haveria consequências.

A mulher insistiu que não é dona e nunca ouviu falar da Neoway Soluções, empresa que receberia repasse de parte da intermediação do patrocínio máster da VaideBet.

A casa de apostas não teve dúvidas em acionar a cláusula anticorrupção e rescindiu o contrato de três anos.

A intermediação da negociação chegaria a R$ 25 milhões.

O contrato de 36 meses estava no início.

A Rede Social, principal intermediária, repassou R$ 1 milhão para a Neoway, empresa que usava Edna como laranja.

Alex Cassundé é o dono da Rede Social e grande apoiador de Augusto Melo, quando foi candidato à presidência corintiana.

O pagamento da comissão foi autorizada pelo diretor administrativo Marcelo Mariano.

Situação que revoltou o diretor financeiro Rozallah Santoro.

A ponto dele pedir demissão.

Após o depósito ter sido feito, a Rede Social transferiu o dinheiro para a Neoway.

Walkir Patucci Neto e William Marroco são os advogados de Edna.

Avisaram aos jornalistas que processarão o Corinthians por danos morais.

A não ser que o clube se antecipe e proponha um acordo financeiro.

É a reviravolta de Edna, a ‘laranja’...


Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.