Andrés prometia R$ 400 milhões. Atualizados, R$ 634 milhões

Em 2011, ele jurava cobrar, pelos naming rights, R$ 400 milhões. Valor, atualizado pelo IPCA, R$ 634 milhões. Não conseguiu nem metade

Sanchez, em 2011, o preço era de R$ 400 milhões. Atualizados, R$ 634 milhões

Sanchez, em 2011, o preço era de R$ 400 milhões. Atualizados, R$ 634 milhões

Corinthians

São Paulo, Brasil

Uma conta muito interessante.

E divulgada nas redes sociais

Ela não leva nem em consideração o ano de 2010, quando começaram as promessas de venda dos naming rights do estádio corintiano.

E a empresa favorita era a Emirates, dos Emirados Árabes.

A conta começa em 2011, quando as promessas de Andrés ficaram mais frequentes.

Ele garantia que fecharia a venda por R$ 400 milhões.

Nove anos depois, o presidente corintiano anunciou, com orgulho, o acordo com a Hypera Pharma.

Por R$ 300 milhões.

Só que há um grande detalhe.

Os R$ 400 milhões anunciados pelo presidente corintiano em 2011, equivalem, levando em conta a inflação, pelo índice IPCA, chegam a R$ 634 milhões.

Ou seja, o Corinthians fechou por menos da metade que Andrés garantia conseguir há nove anos.

Ao jornal Lance!, por exemplo,  em outubro de 2011, ele dizia negociar com seis empresas.

E o preço?

R$ 400 milhões.

Há nove anos...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Novo nome da Arena Corinthians encerra longa novela do clube