Cosme Rímoli Andrés deixa a presidência do Corinthians. Para evitar a Série B

Andrés deixa a presidência do Corinthians. Para evitar a Série B

Andrés Sanchez resolveu 'homenagear' seus vices nos dois últimos meses do quarto mandato. 'Assume' o futebol para evitar a segunda divisão

  • Cosme Rímoli | Do R7

Andrés segue comandando todos os setores do Corinthians. Licença é burocracia

Andrés segue comandando todos os setores do Corinthians. Licença é burocracia

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Andrés Sanchez não é mais o presidente do Corinthians.

Ele pediu licença.

E não voltará.

Está homenageando seus vices.

Alexandre Husni já é, burocraticamente, o presidente.

Edna Murad ficará em dezembro, último mês de mandato.

Enredo lindo de novela.

Mas, na prática, Andrés continua mandando mais do que nunca no Corinthians.

Tanto que anunciou que assumirá de vez o futebol, situação que ele nunca abriu mão.

Só que agora estará mais perto, no dia a dia.

O motivo é simples e não tem nada de ingênuo, novelesco.

Ele sabe o quanto é fraco o elenco que montou.

E que Vagner Mancini precisará de toda ajuda possível para evitar que o time flerte com o rebaixamento.

Mesmo devendo três meses de salários, o dirigente acredita no seu 'carisma' para animar os atletas.

E garantir que eles receberão tudo o que o clube deve.

Andrés Sanchez também comanda a situação da arena.

A dívida que não é tornada pública por falta de transparência.

Há negociações com a Caixa Econômica Federal em andamento.

O balanço de 2019 foi oficializado.

Passou de R$ 177 milhões negativos.

Para R$ 195,4 milhões negativos.

O candidato da oposição à presidência, Mario Gobbi, garante.

A dívida total do clube é de mais de R$ 1 bilhão.

Andrés não tem de onde tirar esse dinheiro.

Andrés admitiu. O estádio corintiano só se tornou realidade pelo presidente Lula

Andrés admitiu. O estádio corintiano só se tornou realidade pelo presidente Lula

Corinthians

Mas pode fazer com que a imagem do clube melhore.

Desde que o time comece a ganhar.

Até para tentar fazer seu candidato Duílio Monteiro Alves, o novo presidente, na eleição.

Truque que aprendeu com o ex-presidente Alberto Dualib.

Andrés sacramenta o fim do seu terceiro mandado como comandante do Corinthians de maneira muito diferente da que sonhava.

A modernidade que conseguiu desde 2007.

Ronaldo, Centro de Treinamento.

Itaquerão, depois, Neo Química Arena.

Andrés conseguiu, com Ronaldo, dar primeiro passo para modernização do Corinthians

Andrés conseguiu, com Ronaldo, dar primeiro passo para modernização do Corinthians

Corinthians

Ele conseguiu se cercar de antipatia.

Das organizadas que o sustentaram.

Das diversas alas políticas que brigam pelo poder.

Da torcida.

E da mídia.

A estátua, que parceiros de diretoria brincavam que seria construída de Andrés Sanchez, em frente ao estádio corintiano, não sairá da fantasia.

No final do terceiro mandato, o repúdio das organizadas, da torcida, das alas políticas

No final do terceiro mandato, o repúdio das organizadas, da torcida, das alas políticas

Reprodução/Twitter

O plano do dirigente é outro.

Tirar o Corinthians do caminho do rebaixamento.

A começar pelo sábado.

Quando o adversário será o poderoso Atlético Mineiro...

Veja craques que rejeitaram grandes seleções por amor aos seus países

Últimas