Cosme Rímoli Acovardado, o Palmeiras segue sem Mundial. Derrota para o Tigres

Acovardado, o Palmeiras segue sem Mundial. Derrota para o Tigres

Decepcionante a postura do time de Abel Ferreira. Muito atrás. Tenso, travado. Vitória do Tigres, que decidirá o Mundial. Palmeiras jogará pelo terceiro lugar

  • Cosme Rímoli | Do R7

São Paulo, Brasil

O Palmeiras foi uma enorme decepção.

O clube, que tanto sonhava em vencer o Mundial, vencendo a hipotética decisão contra o Bayern, nem chegou na final.

Passivo, acovardado taticamente durante grande parte do jogo, sem intensidade, o time de Abel Ferreira perdeu para o Tigres, por 1 a 0, em Doha.

Os atletas atuaram distantes, permitindo que o adversário determinasse o ritmo da partida. E ainda marcaram mal demais.

O time mexicano não sofreu para ganhar do time brasileiro, mesmo tendo uma equipe menos técnica.

Enfrentou o Palmeiras lento, indeciso, tenso. E travado por seu próprio treinador.

O time de Tuca Ferretti também se aproveitou da lentidão e da reação tardia dos brasileiros.

A vitória do Tigres denuncia a inexperência do treinador português palmeirense.

O jogo de quinta-feira no Catar está confirmado.

Mas será apenas pela decisão do terceiro lugar no Mundial, contra o perdedor de Bayern e Al Ahly.

Abel Ferreira foi responsável pelo sufoco que o Palmeiras sofreu no primeiro tempo.

Mesmo tendo uma equipe muito mais forte tecnicamente, ele optou pela mesma estratégia que utilizou contra o Santos, na final da Libertadores.

Colocou seu time de maneira cautelosa em exagero.

Recuou as linhas, buscando atrair o time mexicano, lento na recomposição. 

O português esperava explorar os contragolpes, prefencialmente com Rony, nas costas de Rodríguez.

Mas só que Tuca Ferretti antecipou o que o Palmeiras faria.

E adiantou os volantes Rafael Carioca e Pizarro.

Eles tinham tinham toda a liberdade para pensar o jogo, buscar os jogadores com mais liberdade entre as linhas.

Na frente, dois brutamontes. Ótimos no cabeceio, mas com potencial para trocar passes, buscar tabelas, se infiltrar: Gignac e González.

Abel Ferreira tem toda a culpa pelo fraco futebol do Palmeiras contra o Tigres. Medo exagerado

Abel Ferreira tem toda a culpa pelo fraco futebol do Palmeiras contra o Tigres. Medo exagerado

Noushad Thekkayil/EFE/EPA - 07.01.2021

Foi o Palmeiras que deixou o jogo mais confortável para os mexicanos.

Era incrível a falta de iniciativa.

E a tensão dos jogadores.

Os mexicanos foram ganhando confiança.

E criando chances.

Com Luan inseguro, perdendo o tempo de bola.

Logo aos aos três minutos, o zagueiro brasileiro permitiu a cabeça fortíssima de González. 

Weverton fez uma defesa sensacional, espalmando a bola.

E o atacante francês Gignac teve espaço para receber e chutar como quis, aos 33 e 36 minutos. E o goleiro palmeirense mais duas grandes defesas.

O Palmeiras conseguiu apenas um chute da entrada da área de Rony. O seguro goleiro Guzmán defendeu.

Foi impressionante como o Tigres terminou a primeira etapa dono da partida, trocando passes à vontade.

O 4-5-1 de Abel Ferreira foi enorme exagero. 

Comemoração do gol da vitória de Gignac. Os mexicanos tiveram o caminho facilitado

Comemoração do gol da vitória de Gignac. Os mexicanos tiveram o caminho facilitado

Noushad Thekkayil/EFE/EPA - 07.01.2021

O segundo tempo começou exatamente como acabara a primeira etapa.

O Tigres dominando a intermediária, agradecendo o espaço que o Palmeiras oferecia.

E coube a Luan fazer uma grande bobagem.

Aos seis minutos, ele se precipitou e agarrou González, que ainda virava o corpo. 

Pênalti desnecessário.

Gignac cobrou com força no canto direito, Weverton não conseguiu o milagre.

1 a 0, Tigres, aos oito minutos.

Abel Ferreira tratou de trocar Danilo, muito tímido, por Felipe Melo. Junto com Zé Rafael, perdido em campo, por Patrick de Paula.

E ainda apostou em Willian na vaga do irritadiço e improdutivo Gabriel Menino.

Finalmente, o português adiantou suas linhas.

Começou, aos 20 minutos a atacar.

Mas seus jogadores se mostravam tensos, muito nervosos, afobados. 

A ponto de não conseguirem nem perceber a movimentação da defesa mexicana. A equipe brasileira foi pega em sete impedimentos.

A derrota foi merecida.

Foi a primeira vez que uma equipe mexicana decidirá o Mundial.

Para alegria dos rivais.

O Palmeiras segue sem Mundial...

Últimas