Cosme Rímoli A noite em que o ego de Raphael Veiga sabotou o Palmeiras. Foi o responsável pela eliminação da Copa do Brasil para o São Paulo

A noite em que o ego de Raphael Veiga sabotou o Palmeiras. Foi o responsável pela eliminação da Copa do Brasil para o São Paulo

O meia havia errado um pênalti depois de 24 acertos. Quis voltar a marcar. Desperdiçou a chance de o Palmeiras abrir 3 a 0. O São Paulo marcou. Levou a decisão da vaga aos pênaltis. Venceu por 4 a 3. Veiga errou de novo

  • Cosme Rímoli | Do R7

Raphael Veiga viveu sua mais desastrosa atuação no Palmeiras. Responsável pela eliminação

Raphael Veiga viveu sua mais desastrosa atuação no Palmeiras. Responsável pela eliminação

Reprodução/Twitter

São Paulo, Brasil

Raphael Veiga foi de sensacional surpresa a grande decepção.

Se deixou dominar pelo ego.

E sabotou o Palmeiras, sendo o responsável pela eliminação da Copa do Brasil.

A vaga para as quartas-de-final  foi um presente para o grande rival tricolor.

O jogador surgiu como falso centroavante, no lugar de Rony, contundido. Abel Ferreira deixou atônito o time do São Paulo. E Rogério Ceni, que havia destacado, treinado Gabriel Neves para acompanhar o meia.

O Palmeiras, diante de uma defesa assustada, perdida, fez dois gols em 13 minutos. Piquerez e o próprio Raphael Veiga marcaram 2 a 0. A vantagem para a classificação às quartas de final da Copa do Brasil mudava de lado. Parecia o mesmo roteiro das finais do Campeonato Paulista, em abril.]

Só que o Palmeiras diminuiu o ritmo, o São Paulo acertou a marcação. E o que parecia ser um 'desastre' no primeiro tempo, não se confirmou.

Mas veio o segundo tempo. E o Palmeiras ainda melhor, confiante, animando sua torcida que bateu o recorde histórico, lotando como nunca o Allianz Parque. Com o time ainda muito melhor, veio o lance capital.

Aos 16 minutos, Dudu,que jogou muito bem, chutou forte. Calleri cortou com o braço direito. Pênalti.

Raphael Veiga, que havia perdido sua primeira cobrança em maio, contra o Santos, depois de marcar 24 vezes, pegou a bola. Queria provar para ele mesmo que seguia o grande batedor do Palmeiras.

Só que, afoito, bateu muito embaixo da bola. Ela subiu, foi longe do gol de Jandrei.

O lance, aos 17 minutos, encheu de energia, confiança o São Paulo.

E em seguida, Gustavo Gómez se precipita, em uma arrancada de Calleri, o segura pelo ombro esquerdo. Pênalti que o VAR avisou.

Weverton ainda teve de suportar a provocação de Igor Vinícius. São Paulo era só confiança nos pênaltis

Weverton ainda teve de suportar a provocação de Igor Vinícius. São Paulo era só confiança nos pênaltis

Reprodução/Twitter

Luciano bateu e marcou. O Palmeiras que esteve para consolidar sua classificação com 3 a 0 no placar, via o placar com apenas 2 a 1, que levaria a disputa da vaga nos pênaltis.

O time e a torcida sentiram o baque. O São Paulo, que conseguiu marcar em um raro ataque, dominou psicologicamente o confronto. E foi melhor que o eterno rival até o final da partida.

Na decisão por pênaltis, Raphael Veiga assumiu a responsabilidade de cobrar o primeiro, para o Palmeiras. E bateu muito mal. À meia altura, no canto esquerdo de Jandrei, que não se esforçou para defender. A pressão ficou ainda maior para o Palmeiras. A torcida estava inconformada. 

Mesmo com Weverton defendendo a cobrança de Luciano, a confiança palmeirense não era a mesma. Apesar de atuar na sua casa.

Gustavo Scarpa, Calleri, Gustavo Gómez, Nikão, Piquerez e Igor Vinicius marcaram.

Wesleu cobrou muito mal, entre o canto direito e o meio do gol. A defesa de Jandrei foi também facilitada.

A desilusão de Weverton e a festa de Luciano. O São Paulo se vingou da final do Paulista, em abril

A desilusão de Weverton e a festa de Luciano. O São Paulo se vingou da final do Paulista, em abril

JHONY INÁCIO/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO - 14.7.2022

Coube a Igor Gomes bater e conseguir a histórica classificação do São Paulo.

4 a 3 na decisão por pênaltis.

Era a vingança do Campeonato Paulista.

O favorito Palmeiras está eliminado da Copa do Brasil.

Personificar uma derrota não é muito justo. Mas com suas péssimas cobranças de pênaltis, Raphael Veiga conseguiu tirar a confiança do time de Abel Ferreira. E ressuscitou o São Paulo.

"Futebol é isso, acho que hoje não faltou entrega, atitude. O futebol é isso, parabéns para o São Paulo. A gente sabia que nem sempre vai ganhar, mas nosso time tem uma identidade de buscar a vitória sempre. Futebol é isso, hoje ficamos fora. Tivemos a chance de fazer o terceiro, perdemos nos pênaltis, mas ficamos tranquilo porque deixamos tudo em campo", dizia Gustavo Gómez.

Ele deixou muito claro que a chance foi perdida com o chute absurdo, para o alto de Raphael Veiga, quando o Palmeiras vencia por 2 a 0.

O São Paulo ganha impulso inesperado para seguir brigando pelo título que jamais venceu.

Enquanto o Palmeiras chega à sua quinta eliminação nos pênaltis em seguida. Há algo errado que Abel Ferreira precisa corrigir. 

Seu time já caiu diante do Al Ahly, na disputa do terceiro lugar no Mundial de 2020; Flamengo, na decisão da Supercopa, de 2021; Defensa y Justicia, Recopa de 2021; CRB, Copa do Brasil, 2021. E hoje, contra o São Paulo, nas oitavas da Copa do Brasil.

Hoje, o ego de Raphael Veiga foi o grande obstáculo.

Não estava psicologicamente bem para cobrar pênaltis.

Pior para o Palmeiras.

Excelente ao classificado São Paulo...

Uniformes da Copa: veja as camisas já lançadas pelas seleções

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas