Cosme Rímoli A Itália renasceu. Bicampeã da Eurocopa para tristeza britânica

A Itália renasceu. Bicampeã da Eurocopa para tristeza britânica

Itália e Inglaterra fizeram decisão empolgante. Nos 90 minutos, 1 a 1. Empate na prorrogação. Nos pênaltis, a Itália venceu por 3 a 2. O país reconstruiu seu futebol, depois de não se classificar para a Copa de 2018

  • Cosme Rímoli | Do R7

A Itália comemora o título europeu. Em Londres, em Wembley. Time de Mancini mereceu

A Itália comemora o título europeu. Em Londres, em Wembley. Time de Mancini mereceu

Uefa

São Paulo, Brasil

A sensacional Eurocopa de 2021 foi decidida nos pênaltis.

Em pleno templo de Wembley, a Itália venceu os ingleses por 3 a 2, calando a empolgadissima torcida britância. Bicampeã do torneio mais importante entre seleções, depois da Copa do Mundo. A primeira vez foi em 1968.

Foi a redenção dos italianos, que se reestruturaram, se reergueram, depois do vexame de não se classificarem para a Copa do Mundo de 2018. Perderam o medo de atacar, nas mãos de Roberto Mancini.

Os ingleses também voltaram a merecer o respeito no futebol. Desde 1966 não chegavam a qualquer decisão. Gareth Southgate colocou essa nova geração para ganhar experiência, ganhar convicção, confiança, na Copa do Mundo de 2018, onde acabou em quarto lugar.

A nova geração inglesa terminou a Eurocopa invicta. Foi vice-campeã, mas deixou uma excelente impressão. É, como a Itália, time para brigar para ser campeã do mundo, em 2022.

A sequências dos pênaltis foi de arrepiar. Berardi deslocou Pickford. 1 a 0, Itália. Harry Kane cobrou forte, no canto direito. 1 a 1. Belotti 'cantou o canto' esquerdo e Pickford defendeu. Maguire bateu no canto direito alto, sem chance para Donnarumma. 2 a 1, Inglattera.

A torcida britânica estava comemorando alucinadamente. Bonucci cobrou no alto, Pickford voou mas não alcançou. 2 a 2. Chegou a vez de Rashford. Ele havia entrado faltando dois minutos para a prorrogação acabar. Correu, deu paradinha, fez pose, deslocou Donnarumma. Mas chutou muito aberto e a bola beijou a trave e foi para fora.

Bernardeschi cobrou no meio, enquanto Pickford caía para o canto direito e colocou a Itália em vantagem. 3 a 2. Foi a vez de Sancho, que também entrou só para bater o pênalti. Ele cobrou no canto esquerdo e Donnaruma defendeu.

Jorginho, brasileiro naturalizado italiano, teve a chance de se consagrar. Mas Pickford defendeu a fraca cobrança.

Caberia a Saka empatar as cobranças. Só que ele bateu à meia altura, no canto esquerdo. E facilitou a defesa decisiva de Donnaruma.

Itália bicampeã da Eurocopa.

A festa italiana. Time e torcida celebram a conquista, em Wembley, templo inglês do futebol

A festa italiana. Time e torcida celebram a conquista, em Wembley, templo inglês do futebol

@Euro2020

Nos noventa minutos, o que se viu foi uma partida intensa, vibrante.

Com cada uma das seleções respeitando suas características.

A Itália trocando passes, tentando envolver o adversário, ofensiva. O retrato de Roberto Mancini. Já a Inglaterra fiel ao estilo objetivo, fisico, determinado de Gareth Southgate.

Os times que mereceram decidir essa Eurocopa de 2021, de altíssimo nível. O 3-6-1 da Inglaterra contra o 4-3-3 da Itália. Com os jogadores das duas seleções com duas, três funções táticas no partida.

O jogo começou de forma fulminante. Com a velocidade acima da média inglesa surpreendendo a ótima defesa italiana. Kane tocou para Trippier, que cruzou com perfeição para Shaw bater forte, de primeira, marcar 1 a 0. A falha inaceitável foi de Di Lorenzo, que não percebeu a chegada do lateral esquerdo às suas costas.

1 a 0, Inglaterra logo aos dois minutos de partidas. Os italianos precisaram de muito sangue frio para sair atrás e não se desmanchar taticamente. Mancini foi firme, fez seus jogadores seguirem tocando bola, buscando espaço na excepcional marcação inglesa.

E a partida foi disputada da mesma maneira. Com a Itália atacando e os ingleses buscando contragolpes em acelerada velocidade, em bloco.

Foi absolutamente diferente o ritmo da final da Eurocopa e da Copa América. No continente sul-americano, o jogo de ontem parecia ter sido disputado em câmera lenta.

A Itália forçou de todas as maneiras. Até que foi inevitável. Aos 21 minutos do segundo tempo, Emerson cobrou escanteio, a bola sobrou para Verratti que deu um corajoso peixinho e cabeceou na trave, na sobra, o zagueiro Bonucci empurrou para as redes de Pickford. 1 a 1.

O orgulho italiano com o troféu. O capitão Chiellini ergueu o troféu o mais alto que pôde

O orgulho italiano com o troféu. O capitão Chiellini ergueu o troféu o mais alto que pôde

Reuters/John Sibley

A partir daí, os dois times passaram a ter mais cuidados defensivos. A Itália parou de marcar sob pressão. E o jogo acabou empatado.

Na prorrogação, os dois times não conseguiram criar chances claras.

O nervosimo e o cansaço atingiram as duas seleções.

Vieram os cruéis pênaltis.

E a Itália voltou a ter o sabor de uma conquista.

Triste para os ingleses, com sua excelente nova geração.

A revanche tem tudo para acontecer no Catar.

As duas renascidas seleções têm potencial para ganhar a Copa...

Veja imagens da final da Euro 2020, disputada entre Inglaterra e Itália

Últimas