Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rimoli Copa 2018
Publicidade

Manchester City tenso com agonia de Gabriel Jesus

A tristeza do jogador de 21 anos, com o jejum de cinco partidas na Copa do Mundo, passou da conta. Foi o jogador mais deprimido com o fracasso

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli

Da esperança à depressão na Copa do Mundo. Gabriel Jesus
Da esperança à depressão na Copa do Mundo. Gabriel Jesus Da esperança à depressão na Copa do Mundo. Gabriel Jesus

Kazan, Rússia

Na saída do hotel em Kazan, depois da eliminação do Brasil, da Copa da Rússia, era fácil ver qual era o jogador mais traumatizado. Olhos fixos para baixo, evitando encarar as pessoas, deixava claro que só queria sair dali. O rosto estava inchado, de quem não havia dormido. 

A pressão foi demais para Gabriel Jesus.

De repente, a inexperiência dos 21 anos explodiu de uma vez.

Publicidade

Aos poucos, as histórias de bastidores surgem à tona. E no vestiário brasileiro, logo após a derrota para a Bélgica, o atacante do Manchester City era o mais angustiado. Chorava, estava atormentado pela culpa. Foi amparado por Neymar, Marcelo e Miranda. Mas ele não parava de chorar. 

Tite tratou de reconfortá-lo. E vários companheiros lembraram que não poderia falar com os jornalistas chorando. Aos poucos, foi se acalmando. 

Publicidade

O estado emocional dos jogadores foi um dos responsáveis pela demora de três horas para falarem com os repórteres, depos do jogo.

Porém, a angústia de Gabriel Jesus não passou.

Publicidade

"Eu estou com muito medo. Não sei se terei a mesma confiança que eu tinha antes da Copa. Parece que está faltando um pedaço de mim. Estou muito frustrado. Sei o que esperavam de mim e não consegui dar. 

"Procurei fazer tudo o que o Tite me pediu. Me sentia muito preparado para a Copa. Não sei o que aconteceu comigo. Trabalhei muito para estar aqui. Era o meu maior sonho. Mas deu tudo errado.

"É muito cedo para dizer se estarei na próxima Copa. Mas eu não quero nunca mais me sentir tão mal, tão frustrado como estou agora. Me cobro muito. E vou continuar me cobrando pelo que não fiz neste Mundial."

O desabafo de Gabriel Jesus mostrou o que ele escondeu durante a Copa. Várias vezes perguntado sofre a falta de gols, ele dizia que estava tudo sob controle. Na verdade, o jogador de 21 anos estava uma pilha de nervos. Como não havia psicólogo na Comissão Técnica, recebia apoio de Tite, de Neymar e, principalmente, de Thiago Silva, que o 'adotou' na concentração. O zagueiro de 33 anos tentou de todas as formas com que ele recuperasse confiança. Mas não deu certo.

Gabriel Jesus de costa para o gol. Não é sua característica. Se prejudicou
Gabriel Jesus de costa para o gol. Não é sua característica. Se prejudicou Gabriel Jesus de costa para o gol. Não é sua característica. Se prejudicou

Justo ele que era o artilheiro da era Tite, havia marcado 10 gols em 17 partidas. Em cinco partidas, não conseguiu marcar sequer um gol. Seu desempenho foi o pior da história dos centroavantes titulares da Seleção em Copas do Mundo. Nenhum deles atuou cinco partidas e não marcou.

As visitas dos seus irmãos e, da atuante mãe Vera Lúcia, não adiantaram. O atacante seguiu correndo muito e conseguindo acrescentar pouco demais ao ataque.

Suas propagandas saíram do ar imediatamente, assim que o Brasil foi eliminado. A imagem de garoto talentoso, de enorme personalidade para a idade, não existe mais. A mídia nacional e, principalmente, a internacional o retratou após a participação do Brasil na Copa, como um menino imaturo.

As frases de Gabriel Jesus repercutiram na imprensa inglesta. E ela já escreveu da preocupação do Manchester City e, principalmente, de Guardiola, de recuperar o atacante que saiu muito bem do clube para disputar a Copa. O treinador já teria até telefonado para o jogador o animando. O espanhol havia garantido ter certeza que Gabriel seria um dos grandes destaques do Mundial.

Inúmeros analistas táticos europeus vão pelo mesmo caminho. O atacante se sacrificou pelo time. Jogou enfiado entre os zagueiros adversários, de costas para o gol, abrindo espaço para Neymar, Philippe Coutinho. Não teve o espaço para atuar pelas laterais do ataque, como gosta e faz muito bem no Manchester City.

Se tornou um jogador inofensivo, improdutivo, desperdiçado.

"Fiz tudo o que o Tite me pediu. Tudo", repetiu Gabriel Jesus.

A Copa do Mundo acabou com a confiança do jogador de R$ 127 milhões
A Copa do Mundo acabou com a confiança do jogador de R$ 127 milhões A Copa do Mundo acabou com a confiança do jogador de R$ 127 milhões (Pedro Martins)

Talvez tenha sido o seu maior erro.

Gardiola e a cúpula do Manchester City aguardam com preocupação a volta do atacante.

O clube pagou por ele R$ 127 milhões.

A depressão na despedida da Seleção de Kazan foi impressionante...

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.