Blog do Nicola Tudo o que você precisa saber sobre o acordo de São Paulo e WTorre para ampliar o Morumbi

Tudo o que você precisa saber sobre o acordo de São Paulo e WTorre para ampliar o Morumbi

Estádio passará a ter capacidade para 85 mil torcedores, com criação de nova arquibancada e rebaixamento do gramado

São Paulo assegura que não gastará qualquer centavo com a realização da obra

São Paulo assegura que não gastará qualquer centavo com a realização da obra

Rubens Chiri/São Paulo

O maior sonho de Julio Casares como presidente do São Paulo começou a sair do papel nesta sexta-feira. É que o Tricolor assinou um memorando de entendimento com a WTorre para a reforma do Morumbi. O projeto prevê a ampliação do estádio para 85 mil pessoas em dias de jogos e 100 mil para shows.

Importante: o São Paulo garante que não desembolsará qualquer centavo com a obra, que inclui o rebaixamento do gramado e a criação de um anel inferior de arquibancadas, para aproximar o campo do torcedor - a pista de atletismo deixará de existir.

Toda a operação será de responsabilidade da WTorre, que terá direito à exploração de receitas do estádio assim que a obra terminar. "E o acordo tem um modelo de negócio completamente diferente do que o Palmeiras tem com a WTorre. O São Paulo pode, por exemplo, vetar datas de shows", explica o Tricolor.

A má notícia é que o novo Morumbi ainda levará muitos anos para ficar pronto. A ideia é que a WTorre apresente o projeto arquitetônico finalizado em seis meses. As obras para rebaixar o gramado e criar um outro setor de arquibancadas não deve começar antes de três anos, até que Governo e Prefeitura de São Paulo terminem de canalizar um córrego que passa debaixo do estádio.

O projeto é que o Tricolor tenha sua arena concluída em 2030. Além da ampliação do estádio, também será construído um anfiteatro com capacidade para 20 mil pessoas, de olho em shows, eventos esportivos e palestras sem impacto no gramado. Ainda haverá um estacionamento com cerca de 2.000 vagas. 

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas