Blog do Nicola Raniele é o 1º reforço de Augusto Melo no Corinthians; saiba os valores

Raniele é o 1º reforço de Augusto Melo no Corinthians; saiba os valores

O volante do Cuiabá teve 60% dos direitos comprados, por R$ 12 milhões; o contrato prevê a compra de mais 10%

Raniele tem 26 anos e disputou 35 jogos do Brasileirão pelo Cuiabá, com três gols e uma assistência

Raniele tem 26 anos e disputou 35 jogos do Brasileirão pelo Cuiabá, com três gols e uma assistência

Reprodução/Cuiabá

O volante Raniele acaba de se tornar a primeira contratação de Augusto Melo como presidente do Corinthians. O blog apurou que o acordo com o Cuiabá foi fechado no fim da tarde desta quinta-feira (21), por US$ 2,5 milhões, ou R$ 12,2 milhões, por 60% dos direitos econômicos.

Se Raniele disputar 60% das partidas em 2024, o Timão é obrigado a pagar mais US$ 500 mil, ou R$ 2,4 milhões, e ficará com outros 10% da fatia, de olho em uma venda futura. Baiano de Baixa Grande, o volante tem 26 anos e havia chegado ao Cuiabá nesta temporada.

No total, disputou 35 jogos, com três gols e uma assistência. A boa fase chamou a atenção do Corinthians e de outros clubes, entre eles o Vasco. O Cruz-Maltino, porém, iniciou as tratativas quando o acordo com Augusto Melo já estava praticamente encaminhado.

As partes não confirmam, mas Raniele terá direito a um salário inicial de R$ 350 mil por mês, com aumentos anuais de R$ 20 mil. Seu contrato com o Corinthians terá duração de cinco anos. A comissão dos empresários, que será paga diluída no tempo do acordo, será de aproximadamente R$ 2,6 milhões.

O Corinthians busca agora outros volantes para atuar ao lado de Maycon. Vale contar que Cantillo e Giuliano deixaram o Parque São Jorge, enquanto Fausto Vera está na lista de atletas negociáveis. Erick, do Athletico, Thiago Maia, do Flamengo, e Thiago Mendes, do Al-Rayyan, são alvos de Augusto.

Palmeiras surpreende, Carille fecha com o Santos e Corinthians libera uma joia: confira o mercado da bola

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas