Blog do Nicola Ednaldo vê golpe promovido por Ricardo Teixeira e Del Nero em sua queda na CBF

Ednaldo vê golpe promovido por Ricardo Teixeira e Del Nero em sua queda na CBF

Presidente da CBF foi destituído de seu cargo por decisão da Justiça; queda seria represália a uma série de decisões que ele tomou

Ednaldo Rodrigues rescindiu mais de 150 contratos firmados por seus antecessores na CBF

Ednaldo Rodrigues rescindiu mais de 150 contratos firmados por seus antecessores na CBF

Lucas Figueiredo/Divulgação/CBF

A queda de Ednaldo Rodrigues na CBF teve participação decisiva de dois de seus antecessores: Ricardo Teixeira e Marco Polo del Nero. Pelo menos é essa a convicção do baiano, que foi destituído do cargo nesta quinta-feira (7), após decisão em segunda instância do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

O blog apurou que Ednaldo se vê vítima de um complô depois de contrariar muitos interesses e arrumar diversos confrontos com os dois ex-presidentes.

O rompimento de aproximadamente 150 contratos fechados pelas administrações anteriores foi a gota d'água. Um desses acordos, para a manutenção de impressoras, custava R$ 60 mil por mês. Tal valor permitiria que a CBF comprasse 40 impressoras novas a cada 30 dias.

Ednaldo também rescindiu com a Eleven, empresa que transmitia os jogos da seleção feminina, e com uma empresa responsável pelos funcionários da Granja Comary. Todos eles foram recontratados diretamente pela CBF, garantindo uma economia de R$ 1 milhão.

O presidente destituído ainda havia dispensado todas as pessoas na CBF ligadas a Marco Polo del Nero. Uma cisão desse nível se mostrou absolutamente incomum nos últimos anos da entidade que administra o futebol brasileiro.

O Tribunal de Justiça considerou ilegal a eleição de Ednaldo, no ano passado. Dessa maneira, ele e todos os vice-presidentes perderam seus cargos. O TJ ainda apontou o presidente do STJD, José Perdiz, como interventor da CBF pelos próximos 30 dias. No prazo, ele terá de convocar uma nova eleição para presidente da entidade.

Ancelotti vem mesmo? Veja 7 vezes em que o treinador italiano cozinhou a CBF

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas