Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Blog do Nicola
Publicidade

Dortmund prepara oferta por Wesley e Paulinho discute saída do Corinthians

Time alemão está disposto a pagar 20 milhões de euros fixos por atacante; já volante conversa com Grêmio e Cruzeiro

Blog do Nicola|Jorge NicolaOpens in new window

Foto: Rodrigo Coca - Agência Corinthians

O West Ham não está mais sozinho na busca por Wesley. O blog apurou que o Borussia Dortmund, da Alemanha, está disposto a pagar 20 milhões de euros fixos e mais cinco milhões de euros em bônus para levar o atacante de 19 anos já em julho. A oferta é bem superior a dos ingleses, que se dispuseram a gastar 15 milhões de euros fixos e três milhões de euros em bônus.

Mas nem os R$ 138 milhões, incluindo prêmios, da proposta do Dortmund devem ser capazes de convencer o presidente Augusto Mel a fechar acordo. Ciente do assédio de outros clubes europeus, Augusto já considera a possibilidade de esperar por uma proposta de 30 milhões de euros.

Wesley tem contrato até 2027 e multa rescisória de 100 milhões de euros. Vale lembrar que o Corinthians é dono de 70% dos direitos econômicos do atacante, que se tornou titular absoluto nas últimas partidas sob o comando de António Oliveira.

E o Paulinho? A renovação do contrato do volante, de 35 anos, emperrou e é grande a chance de ele sair do Corinthians em 30 de junho. Cruzeiro, Grêmio e Vissel Kobe, inclusive, são os maiores interessados no veterano.

Publicidade

As conversas entre jogador e Timão estagnaram por causa do salário. Paulinho virou o ano ganhando R$ 1,5 milhão por mês, embora o Corinthians lhe devesse 11 meses de direitos de imagem. Recém-eleito presidente, Augusto procurou Paulinho e discutiu o parcelamento da dívida, mas pediu que o volante aceitasse a redução de seu salário para R$ 700 mil mensais.

Paulinho concordou e foi assim que a coisa funcionou nos seis primeiros meses deste ano. O problema é que o presidente exigiu uma nova redução para renovar até dezembro, e o volante não aceitou.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.