Presidente do Vasco prevê perda de R$ 40 milhões por causa da crise

A crise do coronavírus tem impacto volumoso sobre diferentes setores da economia e, evidentemente, o futebol não está alheio a isso. Com a paralisação das atividades e as restrições que se seguirão mesmo quando os campeonatos forem retomados, os prejuízos deverão ser consideráveis. E a estimativa do Vasco, de acordo com o presidente Alexandre Campello, é de perdas de ao menos R$ 40 milhões para o clube, que está no terceiro mês de atrasos salariais.

"Esse impacto será de pelo menos R$ 40 milhões. Mas nesse momento não há como precisar o tamanho do problema, até porque a gente não sabe quando as atividades vão voltar", disse o dirigente em entrevista à Vasco TV, o canal de vídeos do clube no YouTube.

Além da indefinição sobre a retomada dos jogos, ainda é incerto quando os treinamentos serão reiniciados. As atividades do Vasco, quando forem possíveis, ocorrerão em São Januário. E Campello garante que os atletas vão trabalhar em condições seguras. "Os treinamentos serão iniciados com pequenos grupos. Será feito monitoramento com testes com os atletas e com as pessoas que têm contato com os atletas", comentou.

À frente do Vasco desde 2018, Campello apresentará nesta quinta-feira o segundo balanço financeiro anual da sua gestão. Sem dar maiores detalhes, mas classificando o documento como "histórico", previu elevação das receitas em cerca de R$ 40 milhões no comparativo ao exercício anterior. "Quando entramos, tivemos um aumento de receitas recorrentes. Patrocinadores, direitos de transmissão", disse.