Esportes Presidente do Bahia abre guerra contra 'trapaças e manipulações' no Brasileirão

Presidente do Bahia abre guerra contra 'trapaças e manipulações' no Brasileirão

A indignação toma conta do Bahia desde a marcação do pênalti a favor do Flamengo, na partida de quinta-feira, no Maracanã. A bola bateu no peito de Conti após bicicleta de Diego Ribas e o paulista Vinicius Gonçalves Dias Araújo anotou a infração. Chamado pelo VAR para corrigir a marcação, optou por manter sua decisão. Os cariocas ganharam por 3 a 0 e o clube visitante abriu guerra contra os árbitros e a CBF. Desde à noite do jogo protestando, o presidente do clube falou em "assalto" e nesta sexta-feira disse que lutará contra "trapaças e manipulações" no Brasileirão. A gritaria já surtiu efeito com a demissão de Leonardo Gaciba da Presidência da Comissão de Arbitragem.

Sem utilizar nome de rivais, o Bahia acusa a CBF de estar querendo rebaixá-lo para beneficiar algum outro clube. Entre os times da zona de queda atualmente, já com a Chapecoense sem chances de escapar, o único grande é o Grêmio, ao lado de Juventude e Sport.

"O futebol brasileiro virou um escândalo, um assalto, um absurdo. Fechem as portas. Terceiro jogo seguido com erro afrontoso contra o Bahia. Vergonhoso, indisfarçável. Querem rebaixar o Bahia? Eu imagino porque. Mas não vão conseguir", postou Guilherme Bellintani, ainda durante o jogo.

A bronca vem pela série de erros. No 0 a 0 com o Juventude, o defensor cai com a mão na bola e impede um lance de gol. Chamado pelo VAR, o árbitro ignora o pênalti. Contra o São Paulo, apesar de ter vencido por 1 a 0, nova indignação. O VAR alerta para pênalti de Miranda no atacante do Bahia e mais uma vez não há a correção do lance. Por fim, vem a bola no peito de Conti que Vinicius Gonçalves vai ao monitor rever o lance e não muda de opinião.

Nesta sexta-feira, o presidente do Bahia mais uma vez foi duro e prometeu guerra. Só não disse com quais armas. Contra os cariocas, o Bahia ameaçou não voltar a campo após o intervalo.

"Hoje estou como todo torcedor do Bahia, com raiva e indignação. Mas a gente tá acostumado a tomar porrada. Levantamos e lutamos. Quem for do bem estará do lado bom. Quem não for, que se suje com trapaças e manipulações. Se é guerra, nossa luta e nossa força vencerão no final", prometeu.

André Luiz de Freitas Castro, de Goiás, seria o árbitro contra o Flamengo. Mas os cariocas pressionaram a CBF e houve a mudança. Como os jogos de Atlético-MG e Palmeiras, outros candidatos ao título, contavam com árbitros Fifa, houve a exigência. Então, Vinicius Gonçalves foi o escolhido.

Últimas