Esportes Possível título da Champions impulsionará City globalmente

Possível título da Champions impulsionará City globalmente

Clube pode atingir patamar semelhante ao do Manchester United dentro da Inglaterra e ao redor do mundo com a conquista 

Reuters - Esportes
Clube pode atingir o patamar do Manchester United no âmbito internacional

Clube pode atingir o patamar do Manchester United no âmbito internacional

REUTERS/Violeta Santos Moura

Uma vitória sobre o Chelsea na final da Liga dos Campeões, na Cidade do Porto, neste sábado (29), pode ter um impacto para o Manchester City que vai além do orgulho esportivo.

Um primeiro título na principal competição de clubes da Europa completaria o crescimento do City de "segundo clube" de Manchester ao principal time da Inglaterra, e especialistas acreditam que esse pode ser o elo perdido na criação de uma marca realmente global.

"O maior troféu do futebol de clubes é a Liga dos Campeões, e conquistá-lo certamente teria um impacto na marca deles. É por isso que vemos clubes correndo tanto atrás, como o Paris Saint-Germain", disse Hugo Hensley, chefe de serviços de esportes na Brand Finance.

O PSG perdeu a final da última temporada para o Bayern de Munique, deixando os seus donos do Catar ainda em busca daquele troféu definitivo que sela o seu status entre a elite do futebol.

Ao contrário do PSG, o City tem tido que competir com um dos maiores clubes do esporte bem no outro lado da rua.

Quando o bilionário xeique Mansour bin Zayed al-Nayhan comprou o clube, em 2008, não havia dúvida que ele estava investindo no segundo clube da cidade. O Manchester United não era apenas o mais bem sucedido time da Inglaterra, mas uma marca global que atraia torcedores ao redor do mundo.

O United tinha tudo que era necessário para sucesso no futebol e no plano comercial - um dos principais treinadores do esporte em Alex Ferguson, jogadores de primeira linha, como Cristiano Ronaldo, e uma marca enraizada no sucesso que comemorava o seu terceiro título de Liga dos Campeões ou Copa dos Campeões.

Leia mais: Haaland promete respeitar contrato com o Borussia Dortmund

O City tinha sua própria tradição - era um dos principais clubes da Inglaterra no fim dos anos 1960 -, mas nove anos antes de o grupo de Abu Dhabi assumir o controle, estava na terceira divisão. Em campo, tudo mudou dramaticamente.

Enquanto o United sofre desde a aposentadoria de Ferguson em 2013, o City venceu cinco das últimas nove edições do Campeonato Inglês, incluindo três das últimas quatro.

Em Pep Guardiola, o clube tem um treinador que é amplamente considerado como o mais inovador e efetivo do jogo e um time cheio de talento internacional, produzindo um futebol empolgante.

Isso é mais do que o suficiente para os torcedores do clube, claro, que agora sabem que eles são o principal time da sua cidade e do seu país.

Leia mais: Neymar detona Nike por acusação: 'Não tive chance de me defender'

Mas quando o assunto é ser uma marca global e um negócio internacional, o United ainda está à frente do City na maioria das avaliações. Em termos de valor financeiro, os rankings da Forbes e da Deloitte colocam o United em quarto lugar no mundo, e o City, em sexto.

Em relação ao valor mais amplo da marca, os cálculos da Brand Finance colocam o United em terceiro lugar, e o City em quarto - Real Madrid e Barcelona, da Espanha, estão nas duas primeiras posições.

Como os torcedores do United responderiam imediatamente, enquanto eles venceram a Liga dos Campeões ou a Copa dos Campeões três vezes, o City ainda não foi campeão europeu.

O único triunfo do clube em torneios continentais veio na extinta Recopa Europeia, 51 anos atrás.

Clube busca apenas o segundo título de torneios continentais na sua história

Clube busca apenas o segundo título de torneios continentais na sua história

REUTERS/Dave Thompson

"O torcedor periférico, que talvez veja apenas os jogos do mata-mata da Liga dos Campeões, será exposto ao Manchester City. Traz uma exposição maior para essa audiência mais ampla", diz Hensley.

"Em termos de construir o valor da marca, o que isso faz é aumentar a habilidade de vender contratos de patrocínio, conseguir patrocínios em mais categorias, e criar mais lealdade entre aqueles patrocinadores, que é o mais importante nesse aspecto da marca do negócio", disse.

O United ainda gera cerca de 100 milhões de libras ( cerca de R$ 741,6 milhões) a mais do que o City em receitas anuais e também destacariam um alcance digital global maior, o que cada vez mais impulsiona seus acordos de patrocínio.

Um título da Liga dos Campeões para o City viria em um momento ruim para o United, cujos donos norte-americanos, a família Glazer, enfrentam protestos de alguns grupos de torcedores, enquanto o time se recupera da derrota na final da Liga Europa para o Villarreal, na quarta-feira.

Pode ser que a vitória na Cidade do Porto não catapulte o City à frente do United em termos financeiros e de marca, mas certamente os deixaria mais perto.

"Ajudará a fechar a distância financeira. Em termos de marca global, eles ainda estão a alguma distância de United, Real Madrid, Barcelona, Bayern de Munique, Juventus e provavelmente Liverpool", diz o analista de finanças do futebol, Ron Wilson, da Universidade de Sheffield Hallam.

"Eles têm uma história muito pequena, mas estão certamente em uma curva ascendente - e a vitória na Champions League sem dúvidas acelerará as coisas."

Últimas