Esportes Polícia diz que acidente de Tiger Woods foi provocado por excesso de velocidade

Polícia diz que acidente de Tiger Woods foi provocado por excesso de velocidade

Tiger Woods estava dirigindo a quase 140 km/h, quase o dobro da velocidade permitida, em um trecho em declive da estrada nos arredores de Los Angeles quando perdeu o controle de seu carro e sofreu o acidente que o deixou gravemente ferido no fim de fevereiro, concluiu a investigação da polícia, divulgada nesta quarta-feira.

O xerife do condado de Los Angeles, Alex Villanueva, afirmou que o acidente foi provocado exclusivamente pelo excesso de velocidade que causou a perda do controle do veículo no local. O golfista não foi acusado de dirigir embriagado ou consumir drogas, embora não tenha sido submetido a um exame de sangue, e não estava desatento, segundo o relatório da polícia.

"O principal fator para o acidente foi dirigir a uma velocidade insegura para as condições da estrada e a incapacidade de controlar o carro na curva da estrada", apontou o xerife.

Woods estava dirigindo de 135 a 140 km/h em uma área que tinha um limite de velocidade de 72 km/h, disse Villanueva. O trecho da estrada é conhecido pelo perigo diante da alta velocidade que os motoristas podem atingir devido à inclinação da pista.

O capitão James Powers, que supervisiona o posto do xerife mais próximo ao local do acidente, disse que não há evidências de que o atleta tenha tentado frear e que ele inadvertidamente pisou no acelerador ao invés do freio. O astro do golfe estava usando cinto de segurança no momento do acidente e os airbags do SUV dispararam.

A colisão com a árvore ocorreu a 120 km/h. Woods se recuperava na época de uma cirurgia nas costas, a quinta de sua carreira, à qual foi submetido dois meses antes. No dia em que bateu seu carro, ele estava indo a um torneio.

De acordo com o relatório da polícia de Los Angeles, Tiger Woods e seus representantes cooperaram com as investigações, mas o esportista não guarda memórias do acidente ou de sequer ter dirigido em 23 de fevereiro, dia da colisão.

O carro conduzido por Woods se chocou com uma árvore, capotou e sofreu grandes danos. O golfista teve de passar por cirurgia após sofrer múltiplas fraturas nas pernas e nos ossos do pé e ficou internado no hospital até 16 de março. Na operação, foi inserida uma haste na tíbia para a estabilização das fraturas no mesmo osso e na fíbula. Atualmente, ele se recupera em casa, na Flórida.

Últimas