Pleno do TJD reduz punição a Bruno Silva após confusão em clássico catarinense

O Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina (TJD-SC) julgou, no final da noite de quinta-feira, em Balneário Camboriú, o recurso do volante do Avaí, Bruno Silva, e do Figueirense por conta das confusões ocorridas em clássico disputado no começo do mês, pelo Campeonato Catarinense.

O meio-campista avaiano viu sua suspensão ser diminuída. Antes punido com oito jogos de gancho, o veterano terá que ficar seis rodadas sem ir a campo. O Figueirense, por outro lado, vai receber uma partida com portões fechados, sem torcida, e pagar multa de R$ 10 mil. Inicialmente perderia um mando de campo, portanto, teria que atuar fora de seu estádio.

O Avaí é terceiro colocado da primeira fase do Campeonato Catarinense, uma posição acima do Figueirense. Ambos somam dez pontos, três abaixo de Brusque e Marcílio Dias. Tubarão, com cinco, fecha a zona de classificação às quartas de final.

O julgamento analisou mais uma vez os fatos ocorridos durante a invasão ao gramado do estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, no clássico em que o Avaí venceu o Figueirense por 2 a 0, em 2 de fevereiro, pela quarta rodada da primeira fase do Estadual.

Na ocasião, um torcedor mandante adentrou o campo e acabou sendo derrubado pelo goleiro visitante Gledson. Na confusão, o volante Bruno Silva chutou o próprio companheiro quando tentava acertar o invasor. Após a agressão, outro torcedor chegou ao gramado, o que foi acompanhado de brigas nas arquibancadas entre adeptos do time da casa.