Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Pan - Conexão Chile
Publicidade

Bia Ferreira vai à semi do boxe no Pan e leva vaga olímpica; basquete feminino vence na estreia

Bia Ferreira confirmou o favoritismo e conquistou a primeira vaga do Brasil no Boxe na Olimpíada de Paris-2024 ao avançar à semifinal...

Pan-Americanos|Do R7

Bia Ferreira confirmou o favoritismo e conquistou a primeira vaga do Brasil no Boxe na Olimpíada de Paris-2024 ao avançar à semifinal na categoria até 60kg dos Jogos Pan-Americanos de Santiago nesta quarta-feira. Bicampeã do mundo e prata na Olimpíada de Tóquio, ela venceu a costa-riquenha Pamela Sanchez no primeiro round.

"Eu fico muito emocionada, eu sei o quanto todo mundo se dedicou bastante, o quanto a gente treinou, o quanto a gente se preparou e é emocionante né, eu tô muito feliz de estar fazendo parte desse time e de estar aí na briga nesse momento histórico que vai ter", afirmou a brasileira.

Bia Ferreira ainda é e atual campeã do Pan-Americano. Ela está em busca de mais um título na carreira e já conquistou para o Brasil ao menos a medalha de bronze, já que no boxe não tem decisão do terceiro lugar.

"Eu sei que vou ter de ser uma guerreira, eu sei que as meninas estão com muita vontade de também ser campeã Pan-Americana, mas minha vontade é maior, eu tô muito mais preparada e eu vou pra cima, não vou deixar barato, vou buscar esse bicampeonato até o fim. É isso, é continuar acreditando, ficar concentrada, manter o foco porque a competição ainda não terminou", disse. "Claro, tirei um caminhão das costas, mas ainda estou na disputa, estou na briga pra poder trazer essa medalha aí dourada", disse.

Publicidade

A brasileira não deixou Pamela Sánchez crescer dentro da luta e resolveu a situação logo no primeiro round. Bia Ferreira precisou de apenas 1 minuto e 30 segundos para garantir sua classificação à semifinal. Ela terá pela frente a americana Jajaira Gonzalez.

BASQUETE FEMININO ESTREIA COM VITÓRIA

Publicidade

No basquete feminino, o Brasil brilhou na estreia do Pan de Santiago ao derrotar o Máximo por 72 a 54, com destaque para a pivô Salsa com 12 pontos, cinco rebotes e duas assistências. Érika e Maria Albiero também tiveram grandes atuações.

O Brasil começou acelerando o jogo e conseguiu converter dez chutes de três, em dez tentativas, para largar na frente no primeiro quarto por 16 a 12. O México deu trabalho no segundo quarto, mas a seleção brasileira conseguiu administrar a vantagem, o que facilitou muito no segundo tempo.

Publicidade

O técnico João Camargo, inclusive, aproveitou para fazer alguns testes na equipe no último quarto, quando o México já não esboçava mais reação, principalmente após um terceiro quarto frustrante para as mexicanas.

"É normal essa ansiedade, esse nervosismo. Tanto eu que tô aqui há 28 anos (jogando basquete pela seleção), com 41 anos jogando essas meninas, ainda me sinto nervosa. Mas sempre tento acalmar, controlar a ansiedade de todas elas. Mas o importante é que conseguimos fazer o trabalho que o [treinador] Camargo pediu, que viemos treinando durante toda a semana e conseguimos sair com a vitória, conseguimos encaixar o jogo, isso foi o mais importante. Elas me passam juventude, eu passo experiência e tranquilidade", disse Érika.

O próximo desafio da seleção brasileira é diante da Venezuela, na quinta-feira, às 10h30 (horário de Brasília), no Complexo Multiesportivo de Santiago.

OUTROS ESPORTES

O Brasil estreou nesta quarta-feira no hóquei sobre grama masculino, mas não teve tanta sorte. A equipe brasileira perdeu para o Canadá por 2 a 0. O próximo compromisso é diante de Trinidad e Tobago, nesta sexta-feira.

No handebol feminino, a seleção brasileira feminina venceu o Uruguai com extrema facilidade, por 28 a 9, conquistando o segundo triunfo na competição. A primeira fase terminará nesta quinta, diante de Cuba, às 12h30 (horário de Brasília).

No tênis, Carol Meligeni brilhou ao derrotar a boliviana Noelia Zeballos por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/2 na quadra central, em 1h22 de confronto. A adversária nas quartas de final sairá entre a chilena Fernanda Labraña e a argentina Lourdes Carle.

No tiro esportivo, na final da carabina três posições, Geovana Meyer terminou a disputa em quinto lugar. Os Estados Unidos ficaram em primeiro e em segundo, com Mary Tucker e Sagen Maddalena, respectivamente. A última vaga olímpica ficou com o Canadá, com Shannon Westlake, em terceiro.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.