Logo R7.com
Logo do PlayPlus
BRASILEIRO 2022
Publicidade

Tênis de mesa: equipes masculina e feminina do Brasil garantem classificação aos Jogos Olímpicos

Hugo Calderano, Bruna Takahashi e mais mesatenistas conquistam vagas brasileiras em Paris

Olimpíadas|Do R7

Equipes masculina e feminina de tênis de mesa vão para Paris
Equipes masculina e feminina de tênis de mesa vão para Paris Equipes masculina e feminina de tênis de mesa vão para Paris

Um dia muito especial para o tênis de mesa brasileiro. Neste domingo (17), as equipes masculina e feminina se classificaram para a disputa dos Jogos Olímpicos de Paris 2024. As vagas foram garantidas com autoridade e emoção no Campeonato Pan-Americano da modalidade, em Havana, capital de Cuba: os homens faturaram a medalha de ouro – pela sétima vez em sete edições realizadas do torneio – e as mulheres conquistaram a medalha de prata.

Os heróis do título que manteve a hegemonia masculina no Pan foram Hugo Calderano (tetracampeão de simples, número cinco do ranking mundial), Eric Jouti, Vitor Ishiy e Guilherme Teodoro – o técnico é Francisco Arado, o Paco. Já o time feminino teve as irmãs Bruna e Giulia Takahashi, Laura Watanabe e Bruna Alexandre, treinadas por Jorge Fanck.

Masculino: ouro e vaga olímpica

O duelo contra o Chile, que praticamente classificou a equipe masculina brasileira para os Jogos de Paris e garantiu o ouro no Campeonato Pan-Americano, na penúltima rodada do quadrangular final, foi eletrizante.

Afinal, os chilenos ostentavam os títulos de duplas masculinas e mistas do torneio. Mas o Brasil soube se impor e, em uma emocionante virada, venceu por 3 a 2, conquistando seu sétimo título em sete edições de Pan.

Publicidade

No jogo de duplas, Eric Jouti e Vitor Ishiy tiveram pela frente a dupla campeã masculina do torneio, formada por Gustavo Gomez e Nicolas Burgos (este, campeão também de duplas mistas ao lado de Paulina Vega). O conjunto chileno levou a melhor e venceu por 3 a 1 (8/11, 12/14, 11/6 e 6/11).

Compartilhe esta notícia no Whatsapp

Publicidade

Compartilhe esta notícia no Telegram

No primeiro jogo de simples, foi a vez do ídolo Hugo Calderano entrar em ação e despachar Alfonso Olave por 3 a 0 (11/5, 11/8 e 11/4). Contudo, no terceiro duelo, Eric Jouti foi batido por Gustavo Gomez, que fez 3 a 1 – parciais de 10/12, 14/12, 9/11 e 7/11.

Publicidade

Na reedição da final de simples, Calderano bateu (novamente) Burgos por 3 a 1 (12/10, 11/5, 8/11 e 11/5), deixando a disputa empatada. Coube a Vitor Ishiy garantir o título do Pan-Americano e carimbar o passaporte da equipe masculina para os Jogos de Paris, com uma vitória sobre Alfonso Olave por 3 sets a 0 (11/3, 11/4 e 11/6).

Com a vaga olímpica e o título pan-americano praticamente garantidos, o Brasil enfrentou e venceu Porto Rico pela última rodada do quadrangular final, para sacramentar o sucesso da equuipe. E venceu por 3 a 0. Eric Jouti e Vitor Ishiy abriram os trabalhos nas duplas, batendo Brian Afanador e Daniel Gonzalez por 3 a 0 (13/11, 11/4 e 11/6).

Nas partidas de simples, Hugo Calderano venceu Angel Naranjo por 3 a 2 (11/9, 11/9, 8/11, 8/11 e 11/9), e Eric Jouti fechou a participação brasileira por equipes masculinas no Pan derrotando Daniel Gonzalez por 3 a 0 (11/9, 11/8 e 11/5).

"Sempre temos que valorizar e desfrutar as vitorias pois sabemos o quanto é difícil ganhar títulos. Essa vaga para os Jogos Olímpicos é muito importante para o tênis de mesa brasileiro e mais um passo para conquistar coisas especiais para o Brasil", ressaltou o técnico Francisco Arado.

Feminino: prata e classificação

Após ter vencido o México na véspera por 3 a 2, o time feminino do Brasil foi derrotado pelos Estados Unidos por 3 a 1 no primeiro jogo que realizou neste domingo, pela penúltima rodada do quadrangular final. Com isso, a classificação aos Jogos Olímpicos ficou em risco, dando um tom dramático à disputa.

Nas duplas, as irmãs Bruna e Giulia Takahashi foram vencidas por 3 a 2 por Amy Wang – que havia batido Bruna na final de simples - e Rachel Sung, com parciais de 11/3, 11/4, 6/11, 9/11 e 10/12. Em seguida, já pelas simples, Bruna Alexandre caiu por 3 a 0 para Lily Zhang (4/11, 11/13 e 8/11).

Bruna Takahashi trouxe esperança às brasileiras após vencer Rachel Sung por 3 a 2 (4/11, 11/9, 11/7, 9/11 e 11/8). Contudo, Amy Wang superou Bruna Alexandre por 3 a 2 (11/8, 10/12, 3/11, 12/10 e 8/11), obrigando o Brasil vencer o Chile na última rodada para manter suas chances de brigar pela vaga nas Olimpíadas.

O confronto decisivo com o Chile começou com a partida de duplas reunindo Giulia Takahashi e Laura Watanabe contra Paulina Vega (campeã de duplas mistas) e Daniela Ortega. Em um jogo emocionante, vitória das chilenas por 3 a 2 (15/13, 4/11, 11/7, 4/11 e 6/11).

Em seguida, Bruna Takahashi venceu Zhiying Zeng por 3 a 2 (11/6, 2/11, 11/4, 11/13 e 11/5). Logo depois, Giulia superou Daniela Ortega pelo placar de 3 a 0 (11/8, 11/8 e 11/6), colocando o Brasil à frente na disputa.

A medalha de prata e a consequente classificação aos Jogos Olímpicos foram asseguradas por Bruna Takahashi, com uma vitória de 3 a 1 sobre Paulina Vega (11/5, 11/7, 14/16 e 11/7), fechando a disputa com as chilenas em 3 a 1 para o Brasil. O ouro não veio (ficou com a equipe dos Estados Unidos), mas a classificação olímpica foi garantida com justiça.

"Esse Pan-Americano foi muito especial, muito importante para a formação de uma equipe. Pudemos trabalhar com as quatro jogadoras em duplas, em equipe, além de aprimorar o desempenho individual de cada uma. E todas elas, quando foram exigidas, chamadas a corresponder, desempenharam seus papéis. Isso é o que me deixa mais feliz. A união delas em busca desse objetivo, da vaga olímpica, foi extraordinário. Essa classificação é um sonho realizado e eles fazem parte disso", disse o técnico do time feminino, Jorge Fanck.

Egito investe mais de R$ 245 bilhões para construir cidade e ser sede dos Jogos Olímpicos de 2036

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.