Olimpíadas Robert Scheidt tenta se isolar no recorde de medalhas para o Brasil

Robert Scheidt tenta se isolar no recorde de medalhas para o Brasil

Velejador já conquistou dois ouros, duas pratas e um bronze nos ogos. Torben Grael tem cinco medalhas, mas dois bronzes

Robert Scheidt não vê favoritismo para competição na Baía de Enoshima

Robert Scheidt não vê favoritismo para competição na Baía de Enoshima

Arte/R7

Colecionador de medalhas, Robert Scheidt mais uma vez representará o Brasil na maior competição esportiva do mundo. Aos 48 anos, o paulistano possui amplo currículo em Jogos Olímpicos, com duas medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze.

Scheidt é o atleta brasileiro com maior número de medalhas olímpicas, ao lado de Torben Grael. O também velejador terminou a carreira com dois ouros, uma prata e dois bronzes.

Nascido em São Paulo, Scheidt atualmente mora na Itália, próximo ao Lago de Garda. Por lá, o atleta encontrou condições melhores de treino para a competição em Tóquio 2020, que será realizada na Baía de Enoshima.

Em sua sétima Olimpíada seguida, Scheidt carimbou seu passaporte rumo a Japão durante o mundial de vela em 2020. Para ampliar sua vantagem como maior vencedor olímpico do Brasil, Scheidt buscará outra medalhs em Tóquio, mas, desta vez, sem a pressão do favoritismo.

“A vontade de chegar no pódio, de fazer uma boa Olimpíada é tão grande quanto das outras vezes, se não maior. Estou caminhando para o fim da minha carreira, então as chances vão diminuindo de você poder continuar nessa caminhada”, disse Scheidt, que foi porta-bandeira do Brasil, em Pequim 2008.

Craques querem Olimpíada, mas clubes podem atrapalhar planos

Últimas