Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

De quase jogador de futebol a esperança de medalha olímpica no windsurfe: conheça Mateus Isaac

Atleta de 28 anos chegou a cursar administração, jogou nas categorias de base do Figueirense, mas resolveu trocar a bola pelo mar

Olimpíadas|Do R7


Mateus Isaac é o atual número 2 do mundo no windsurfe e sonha com medalha olímpica
Mateus Isaac é o atual número 2 do mundo no windsurfe e sonha com medalha olímpica

Mateus Isaac nasceu para o esporte. Desde criança, o atleta de 28 anos se dividia entre a paixão pelo futebol e o amor pelo mar. Logo, a vida o forçou a fazer uma escolha. E ele, que hoje é uma referência mundial no windsurfe, escolheu, a princípio, a bola.

“Eu jogava futebol ao longo da semana e velejava aos sábados e domingos. Só que teve uma época em que disputei torneios pela escolinha que eram realizados aos finais de semana. Também participava de campeonatos de futebol na escola. Aí, por conta disso, acabei ficando sem velejar dos sete aos 10 anos de idade”, lembra Mateus Isaac.

Por um breve período, inclusive, o hoje velejador se aventurou nas categorias de base do Figueirense. A vela só voltou a fazer parte da vida do jovem quando sua família se mudou para Florianópolis (SC), no entanto, a prioridade de Isaac seguiu sendo o futebol.

No entanto, depois da experiência negativa no clube catarinense, Mateus Isaac voltou suas atenções de vez ao esporte aquático.

Publicidade

De Coringa a Homem de Ferro: capacetes do skeleton roubam a cena nos Jogos de Inverno

O Windsurfe

Depois da frustração no futebol, o jovem atleta passou a dar mais importância para a prática da vela. Mas foi só após a família retornar para São Paulo que ele começou a competir de fato no windsurfe, aos 14 anos.

Publicidade

De cara, Isaac viu que tinha talento para coisa. O atleta foi campeão brasileiro e sul-americano nas categorias de júniores aos 15 anos, e faturou o mundial aos 18. Apesar disso, a falta de patrocinadores para investir em sua carreira o levaram a procurar uma alternativa para o futuro.

“Foi um pouco complicado entender o que aconteceu. Mesmo com esses títulos, não recebi o investimento que precisava para seguir no windsurfe. Com isso, pensei em abandonar a modalidade e, em 2012, entrei na faculdade de administração para ter uma opção caso tudo desse errado no esporte”, recorda.

Publicidade

A volta por cima e o sonho olímpico

Mesmo cursando faculdade, Mateus Isaac nunca largou o windsurfe, e a recompensa veio. Em 2013, o atleta ficou em segundo lugar no mundial da categoria e recebeu um convite para estudar e praticar o esporte no Havaí, nos Estados Unidos.

De lá para cá, a carreira de Isaac deslanchou. Ele foi bicampeão do mundo júnior com 20 anos e passou a fazer parte do Tour Mundial da modalidade. Mais tarde, com 24 anos, venceu sua primeira etapa do circuito na categoria foil e terminou o ano em quinto lugar geral, realizando uma de suas melhores temporadas na carreira.

Hoje, o principal objetivo de Mateus é garantir sua presença nos Jogos Olímpicos de Paris. Com a entrada da categoria foil na última edição das Olimpíadas, em Tóquio, o atleta tem a chance de participar de um dos maiores eventos esportivos do mundo e realizar o sonho de conquistar uma medalha para o Brasil.

“As Olimpíadas são o meu único foco agora. Tenho treinado muito e me esforçado bastante nesses últimos anos para chegar aos Jogos de Paris no mais alto nível. Conseguir uma medalha olímpica é um sonho meu e realizar esse feito representando o Brasil seria a conquista mais importante e emocionante da minha carreira”, completa Mateus Isaac, esperança de medalha do Brasil na Olimpíada de Paris.

Hulk, Veiga, Gabigol? Nada disso! Conheça Mário Sérgio, artilheiro do Brasil em 2022

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.