Esportes Márcio Araújo vê Libertadores como aprendizado aos jovens do elenco santista

Márcio Araújo vê Libertadores como aprendizado aos jovens do elenco santista

Nada de lamentações ou caça às bruxas após a queda precoce do Santos na Copa Libertadores. Mesmo com a apresentação ruim e a consequente derrota diante do Barcelona de Guayaquil, por 3 a 1. Para o auxiliar técnico Márcio Araújo, substituto do suspenso Fernando Diniz, a participação na competição servirá de aprendizado e amadurecimento à nova geração de Meninos da Vila.

O treinador interino preferiu enxergar o lado bom, se é que existe, na queda precoce da competição. Até porque os santistas seguirão atrás de um título internacional, pois entrarão no mata-mata da Copa Sul-Americana. Ao invés de lamentar, preferiu falar sobre qual lição serviu ao Santos.

"Nosso time é muito jovem, a média parece que é de 22 anos", alertou Márcio Araújo. "Então, é um trabalho excepcional nesse sentido. O resultado é insatisfatório, claro, mas vamos colher frutos com esses jovens no futuro", apostou.

Como a diretoria do Santos está fazendo uma adequação financeira no clube e investirá pouco em reforços, essa base utilizada na Libertadores deve ser utilizado por todo o ano. Colocar os meninos para cima se faz necessário.

"Não podemos olhar só o momento. Precisamos de equilíbrio e moderação", pediu Márcio Araújo. "Temos Kaiky, Ângelo, (Gabriel) Pirani, Kaio Jorge, Marcos Leonardo, Lucas Braga, Kevin… Muitos jovens. A desclassificação na Libertadores vai preparar os jovens para o que vem na frente", enfatizou. "É difícil o vice-campeão, um time grande, ser desclassificado, óbvio. Mas é um processo de recuperação e vamos melhorar."

Antes da Copa Sul-Americana, o Santos tem visita ao Bahia, sábado, na abertura do Brasileirão. Marinho, ainda tratando de problema muscular, deve seguir fora da equipe. Kaio Jorge negocia a renovação do contrato e promete se manter empenhado em ajudar o time.

Últimas