Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Boxeador cubano se recusa a voltar ao país após conquistar título mundial

Federação de boxe local afirma que Yoenlis Hernández abandonou a delegação durante escala no Panamá

Mais Esportes|Do R7, com informações da AFP

Yoenlis Hernández ganhou medalha de ouro em mundial de boxe
Yoenlis Hernández ganhou medalha de ouro em mundial de boxe Yoenlis Hernández ganhou medalha de ouro em mundial de boxe

O boxeador cubano Yoenlis Hernández, campeão no Mundial de Tashkent (Uzbequistão) na categoria até 75 quilos derrotando na final o brasileiro Wanderley Pereira, abandonou a delegação de Cuba durante a viagem de volta ao país, informou nesta terça-feira (16) a federação local.

Em nota, a Federação Cubana de Boxe afirmou que o atleta se recusou a voltar para o país local quando a delegação fazia uma escala no Panamá, e que a decisão de Yoenlis se trata de uma "indisciplina grave".

No regresso à sua terra natal, com escala no Panamá, o bicampeão mundial recusou-se a continuar a viagem a Havana, o que implica a ruptura com a seleção nacional e com os compromissos competitivos contratados para esta e as próximas épocas.

É uma indisciplina grave e nesses termos informamos os torcedores, certos de que outros saberão ocupar seu lugar no navio-almirante do esporte cubano.

Publicidade

· Compartilhe esta notícia no Whatsapp

· Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Hernández, de 25 anos, repetiu em Tashkent o título conquistado há dois anos em Belgrado e recebeu um prêmio de US$ 200 mil (R$ 982 mil, na cotação atual).

Após uma disputa de três assaltos, com três minutos cada, os árbitros, em decisão unanime, por 5 a 0, deram vitória para o boxeador cubano. A medalha de prata para Wanderson ajudou o Brasil a repitir seu melhor desempenho em mundiais.

Publicidade

"Cresci como atleta, incorporando mais recursos e aproveitando a experiência acumulada desde que cheguei à seleção nacional", declarou Hernández à imprensa local, após a vitória no Uzbequistão.

A grave crise econômica vivida em Cuba provocou nos últimos três anos um êxodo massivo, principalmente de jovens.

No esporte de alto rendimento, o número de emigrantes passa dos 100 e inclui campeões olímpicos e mundiais, como o lutador Ismael Borrero, o canoísta Fernando Dayán, a lançadora de disco Yaimé Pérez e o boxeador Andy Cruz.

Mausoléu de Pelé é aberto ao público com caixão dourado e homenagens ao Rei; veja

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.