Mais Esportes Biografia de Wanderlei Silva relata cotovelada e início de rivalidade

Biografia de Wanderlei Silva relata cotovelada e início de rivalidade

'SEM COLEIRA - A História do Campeão dos Ringues que Inspira Você a Vencer na Vida' relembra carreira de um dos grandes nomes do MMA mundial

  • Mais Esportes | Felippe Scozzafave, do R7

Wanderlei Silva teve carreira brilhante no MMA

Wanderlei Silva teve carreira brilhante no MMA

Reprodução/Instagram @wandfc

Um dos grandes nomes do MMA mundial, Wanderlei Silva tem muita história para contar. Campeão em algumas oportunidades do Pride e com carreira consolidada no UFC, o curitibano de 44 anos acaba de lançar a sua biografia "SEM COLEIRA - A História do Campeão dos Ringues que Inspira Você a Vencer na Vida".

Organizada pelos jornalistas Thiago Parijiani e Luis Henrique Gurian, e lançada pela BB Editora, a obra relata de que forma Wanderlei se tornou um dos maiores ícones do MMA e atingiu marcas impressionantes, ficando invicto por 5 anos, 2 meses e 19 dias, atingindo recordes de defesa de cinturão peso-médio do Pride e números de vitórias. Além disso, o livro revela um lado desconhecido de Wand: o medo da demência pugilistica, doença conhecida como Encefalopatia Traumática Crônica.

E a relação do campeão dos ringues com os autores da obra vem de longe. "Em 2001, estava procurando algo para assistir na TV e me deparei com uma edição do Pride. Nunca tinha tido acesso ao MMA e vi a luta do Ryan Gracie em que ele foi humilhado pelo Kazushi Sakuraba. E fiquei com muita raiva do japonês. Em seguida o Wanderlei fez a luta contra o Sakuraba. E mandou ele para o hospital em 1 minuto e meio. E passei a gostar e acompanhar ele. E gostaria muito de entrevistá-lo. Mas trabalhava em uma revista de games e não tinha esse gancho. Então lançou o jogo do Pride. E eu vi a possibilidade de falar com ele. Desde então, a gente construiu uma relação. E eu fui percebendo que havia muitas familiaridades entre a minha história e a do Wanderlei. Quanto mais eu pesquisava sobre ele, mais me encantava. O Wanderlei ocupou a vaga como meu ídolo que estava vaga desde a morte do Senna", contou Thiago Parijiani, em entrevista ao R7.

Livro tem prefácio de Royce Gracie

Livro tem prefácio de Royce Gracie

Divulgação

E talvez pela excelente relação entre Thiago e Wanderlei, a obra tenha ficado tão especial, com direito a informações que nunca haviam sido divulgadas: "O livro virou muito pessoal. Ele decidiu abrir histórias bastante íntimas. Ele contou, por exemplo, de uma traição que a mulher dele descobriu. E fez questão de abrir. Além disso, ele me contou algo que nunca foi noticiado. Um nocaute que ele levou fora do ringue. Antes da luta contra o Ricardo Arona, ele toma uma cotovelada do Charles Bennett e apaga. A organização do Pride não soube disso e, claro, se soubessem, jamais permitiriam que a luta acontecesse. Mas os técnicos dele viram o que aconteceu e mesmo assim o incentivam a lutar, dizendo que ele estava pronto. Ele luta. E vence o Arona", relembra, citando que isso foi o estopim para a grande rivalidade entre Wanderlei Silva e "Krazy Horse", como ficou conhecido Bennett no mundo das lutas.

Já disponível para compra no site da editora (R$ 49,90), o livro terá um lançamento oficial no dia 2 de dezembro, na Livraria Cultura, do Shopping Iguatemi, em São Paulo. E não deve parar por aí. "O livro está indo muito bem e a nossa ideia é que ele seja levado para o Japão e os Estados Unidos. O céu é o limite para o Wanderlei", encerrou.

Novo Ibra? Bebê sueco faz sucesso na internet ao marcar golaços

Últimas