Esportes Liga de Basquete Feminino aprova o protocolo de detecção e prevenção à covid-19

Liga de Basquete Feminino aprova o protocolo de detecção e prevenção à covid-19

A Liga de Basquete Feminino (LBF) divulgou nesta sexta-feira detalhes do protocolo de detecção e prevenção à covid-19 que foi aprovado pelas equipes para o início da temporada de 2021. A competição começa em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, com o jogo entre Vera Cruz Campinas e AEC/Tietê Agroindustrial/BAX Catanduva.

As decisões foram tomadas após reunião por teleconferência com participação da diretoria da LBF, gestores e profissionais de saúde das oito equipes. Os jogos serão realizados sem público até os clubes receberam liberação por parte das autoridades competentes das cidades.

Nos ginásios, todos deverão ter a temperatura corporal aferida, obedecer um distanciamento social de no mínimo 1,5 metro e utilizar máscaras - exceto quando as atletas estiverem em jogo. Todos também deverão higienizar frequentemente as mãos com álcool 70% em gel ou água corrente e sabão, além de evitar toques nos olhos, nariz e boca.

Será de responsabilidade do clube mandante a higienização constante do ginásio e superfícies potencialmente compartilháveis (maçanetas, corrimãos e torneiras, por exemplo).

O protocolo definiu que todas as atletas e integrantes das comissões técnicas deverão ser testados pela primeira vez, através de teste RT-PCR ou teste de antígeno, até uma semana antes do início do campeonato, devendo repetir o exame obrigatoriamente a cada 14 dias.

Potenciais casos positivos para covid-19 deverão ser imediatamente comunicados à LBF e cumprir período de 10 dias em isolamento, não podendo disputar jogos ou frequentar os ginásios.

O formato de disputa da competição será com turno e returno na fase de classificação para definir as posições para os playoffs. As séries de quartas de final e semifinal serão disputadas em até três jogos, ao passo que a grande decisão será em série melhor de cinco partidas.

Últimas