Esportes Liderança no Brasileiro dá respiro a Bustos por sequência mais amena na Vila

Liderança no Brasileiro dá respiro a Bustos por sequência mais amena na Vila

Líder do Brasileiro, trégua com a torcida e um time com a confiança redobrada após a vitória contundente de 3 a 0 deste domingo. Este é o saldo que o técnico argentino Fabián Bustos tem em sua folha de serviços após rodada deste final de semana.

Questionado pela torcida e por parte da imprensa pela oscilação do time santista desde a sua chegada, o comandante santista espera um período mais tranquilo agora que vai fazer três jogos como visitante por duas competições diferentes.

Dois desses desafios são pela Copa Sul-Americana. No meio de semana, a missão tem início diante do Unión La Calera, no Chile. Na outra quinta (dia 5), o elenco faz nova viagem, desta vez para o Equador, onde enfrenta a Universidad de Quito. Em meio a esses dois compromissos internacionais, surge o clássico contra o São Paulo, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro.

Muitos dos questionamentos se apoiam no desempenho apenas regular desde a chegada de Bustos ao clube. Com quatro vitórias, três empates e três derrotas o aproveitamento bate em 50%. Mesmo tendo a seu favor o pouco tempo de trabalho (chegou em fevereiro), ele já teve de conviver com as críticas.

Apesar do apoio declarado do presidente Andres Rueda, o comandante sabe que precisa se estabilizar o mais rápido possível.

"São muitos jogos, competições diferentes, viagens pelo País e para o exterior. O desgaste é grande. Temos que ter sempre muito cuidado em preservar os jogadores", afirmou Bustos após o triunfo sobre o América-MG.

Além do calendário, o argentino tem ainda mais um desafio: conseguir montar não só um time, mas também ter um elenco afiado em meio à vinda de reforços.

"O que eu mais queria era ter semanas livres. Falta tempo para preparar o time taticamente e também condições para cuidar melhor da capacidade física do time Sou recém-chegado, não posso falar o que fazer. O calendário é super exigente."

Na última janela de transferências, cinco nomes chegaram para encorpar o plantel. A diretoria apostou na vinda do zagueiro Maicon, dos volantes Willian Maranhão e Rodrigo Fernández e trouxe ainda os atacantes Jhojan Julio e Bryan Ângulo.

O apoio declarado de Andrés Rueda respalda sua missão, mas tudo, claro, depende dos resultados. "Ele é muito trabalhador. Ele tem excelentes conhecimentos sobe futebol e está tentando montar seu time de titular", afirmou dirigente na semana passada.

Com atletas de alta quilometragem chegando, a boa notícia gira em torno do bom desempenho de promessas que estão despontando. Marcos Leonardo e Ângelo deixaram boa impressão. Vinícius Zanocelo, autor de dois gols neste domingo, aumenta a lista de boas notícias.

"Marcos Leonardo foi muito bem. O Ângelo é um craque. Não tenho dúvidas de que seu destino vai ser jogar na Europa. O Zanocelo é como uma esponja, quer absorver tudo e aprender sempre", disse.

A partir desta segunda, a ordem é pensar na Sul-Americana. Segundo colocado no Grupo C com uma vitória e uma derrota, Bustos prevê um equilíbrio de forças entre a quatro equipes em busca da classificação.

E diante da pedreira que terá pela frente, o que o argentino sabe, é que a liderança do Brasileiro surge como um aliado mais do que poderoso para a continuidade do seu trabalho.

Últimas