Viña não joga mais pelo Nacional e é homenageado antes de ir ao Verdão

Lateral-esquerdo cogitava atuar na Supercopa Uruguaia, neste sábado, mas não ficará nem no banco de reservas. Ele diz que viaja ao Brasil na segunda-feira para assinar contrato

Lance

Lance

Lance

Diferentemente do previsto, Matías Viña não jogará neste sábado sua despedida do Nacional (URU). O lateral-esquerdo cogitava disputar a Supercopa Uruguaia, contra o Liverpool, mas ficou fora até do banco. Ele foi ao estádio para ser homenageado e disse que viaja no começo da próxima semana ao Brasil depois de acertar por cinco anos com o Palmeiras.

Eleito o melhor jogador do último campeonato uruguaio, ele foi ovacionado pela torcida do Nacional nesta noite. Formado nas categorias de base do clube, Viña teve 50% de seus direitos econômicos vendidos ao Verdão por 3,5 milhões de euros (R$ 16,6 milhões), pagos em três parcelas.

- Tinha a possibilidade de jogar (neste sábado), eu obviamente disse que sim, mas com o acerto (com o Palmeiras) não pude. Este é um passo que preciso dar para seguir crescendo - falou Viña, de acordo com Referi, veículo de comunicação uruguaio.

Disputado também pelo Milan, o reforço explicou por que escolheu jogar no Brasil. Figura recorrente em convocações da seleção uruguaia, ele acertou até o fim de 2024 com o Verdão.

- Eu me guiei pela questão de ritmo e continuidade, e vou para um país que tem apresentado muitos laterais de nível mundial e que vai me ajudar a crescer - acrescentou o jogador, primeira contratação alviverde de 2020.