Lance Surfe: Brasil supera decepção entre os homens e consegue marca histórica na disputa feminina em Pipeline

Surfe: Brasil supera decepção entre os homens e consegue marca histórica na disputa feminina em Pipeline

Luana Silva e Tatiana Weston-Webb estão vivas na busca por título no Havaí

Lance
Lance

Lance

Lance

A etapa de Pipeline, primeira da temporada na Liga Mundial de Surfe (WSL), começou de forma decepcionante para o Brasil, mas ganhou outro contexto com o desempenho das surfistas Tatiana Weston-Webb e Luana Silva. Pela primeira vez na história, o país terá duas mulheres nas quartas de final da competição disputada no pico mais famoso do Havaí.

O ótimo resultado na disputa feminina vem após uma frustração grande entre os homens. Na competição masculina, o Brasil não conseguiu levar nenhum atleta às quartas de final, marca que não acontecia em qualquer etapa da WSL desde 2017.

➡️ Siga o Lance! no WhatsApp e acompanhe em tempo real as principais notícias do esporte

Tatiana Weston-Webb foi derrotada na bateria do primeiro round e precisou disputar a repescagem, na qual superou Lakey Peterson e India Robinson para retornar ao mata-mata principal. Nas oitavas de final, as duas brasileiras eliminaram surfistas australianas. Tati venceu Sally Fitzgibbons, enquanto Luana Silva derrotou Tyler Wright.

➡️ Surfe: Brasil inicia WSL de 2024 com marca negativa que não acontecia desde 2017

As quartas de final de Pipeline serão realizadas neste sábado (10), a partir das 14h (de Brasília). Tatiana Weston-Webb encara a americana Caitlin Simmers. Luana Silva, por sua vez, duela com a costa-riquenha Brisa Henessey.

Últimas