Lance Sette Câmara reclama de ações na Justiça movidas por Elias e Maicon Bolt:'são cobranças absurdas'

Sette Câmara reclama de ações na Justiça movidas por Elias e Maicon Bolt:'são cobranças absurdas'

Somados os dois jogadores, que já deixaram o Atlético-MG, pedem mais de R$ 27 milhões na Justiça do Trabalho 

Lance
Lance

Lance

Lance

O presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara, se posicionou de contra as ações judiciais movidas contra o clube pelo volante Elias e o atacante Maicon Bolt, ambos sem vínculo atual com o clube. Somados, a dupla pede cerca de R$ 27 milhões do Galo em indenizações após deixarem a equipe mineira. Sette Câmara achou absurdas as pedidas dos jogadores.

-Não só a do Elias. A pedida do Maicon Bolt também é absurda. Vocês vão concordar comigo que se tem uma coisa que o Atlético tem sido campeão seguidamente é em processos judiciais e administrativos. A gente tem uma pessoa extremamente capaz que é o Lásaro Cândido da Cunha, que é o tipo do advogado que ninguém quer enfrentar. Uma coisa é pedir, outra coisa é levar. Estou muito tranquilo porque eles estão pedindo um absurdo e é por isso que a gente não fez acordo- disse Sette Câmara, em entrevista à rádio 98FM.

A “revolta” do dirigente atleticano também se reproduziu quando disse que o clube não vai sair pagando tudo aquilo que lhe pedem.

-O Atlético não vai sair pagando porque o camarada acha que tem direito de receber uma fortuna por aquilo que ele pleiteia. Ele pode procurar os direitos dele e a gente faz a defesa, faz o contingenciamento do valor que é devido e lá na frente a gente não é pego de surpresa- disse.

Motivos das cobranças

O atacante Maicon Bolt e o Atlético-MG estão em disputa judicial, com o jogador pedindo na Justiça do Trabalho R$ 20 milhões para compensar a rescisão de contrato com o clube, que iria até o fim de 2021. Bolt alega que tem direito a ser ressarcido pela ruptura unilateral.

Na ação, Maicon Bolt cobrou do alvinegro o direito de receber o salário de janeiro, direitos de imagem entre novembro de 2019 e janeiro deste ano, FGTS, 13º salário proporcional, premiações, luvas, rescisão, multas e indenização,o que, na sua conta totalizam os R$ 20 milhões.

-O processo do Bolt é o mais absurdo, porque cobra um ano a mais de contrato que no nosso modo de entender não se aplica- disse Sette Câmara.

Já o volante Elias,atualmente sem clube, acionou o clube mineiro na Justiça de Trabalho, entrando com uma ação na 25ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte.

O jogador pede R$ 2.705.719,26 do alvinegro por pendências com recolhimento de FGTS, salários atrasados e verbas rescisórias.

Últimas