Lance Semana Internacional de Vela de Ilhabela larga com 81 barcos

Semana Internacional de Vela de Ilhabela larga com 81 barcos

Regata de abertura teve início com ventos fracos na direção leste

Lance
Lance

Lance

Lance

As primeiras regatas da 48ª edição da Semana Internacional de Vela de Ilhabela começaram no último domingo com 81 barcos divididos em oito classes. O maior evento da modalidade da América Latina foi retomado após o adiamento da competição de 2020 em função da Covid-19.

A Semana de Vela de Ilhabela largou às 12h15 para a Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, percurso de 55 milhas contornando o arquipélago do litoral norte de São Paulo. A competição conta ainda com as regatas Ilha de Toque-Toque, de 25 milhas náuticas, e a Renato Frankenthal, de 10 milhas náuticas.

Com ventos fracos de 8 nós, os veleiros mais rápidos começaram a se livrar das dificuldades apresentadas no canal de São Sebastião e principalmente o vento contra com destino a Alcatrazes. O primeiro a cruzar a nova boia da Praia do Perequê ainda nas primeiras milhas da regata foi o novo Soto40 King, seguido pelo Rudá. A Semana tem 25% de barcos estreantes.

Já na chegada em Alcatrazes, o primeiro a montar a ilha foi o Phoenix. O barco fez a primeira parte do percurso até o arquipélago em aproximadamente quatro horas e meia. O retorno com vento a favor foi favorável à equipe mais profissional da modalidade no país e a equipe de Eduardo Souza Ramos, maior vencedor da competição, foi a Fita-Azul com quase sete horas. O recorde da Alcatrazes permanece do barco Crioula, marca de 6h1m42s, em 2018.

Regatas mais curtas e disputadas

Outro destaque da regata de abertura da Semana Internacional de Vela de Ilhabela foi a disputa entre os catarinenses na classe C30. O Katana foi o vencedor definido literalmente no photo-finish contra o Zeus. Apenas 3 segundos separaram os times da classe dos Carabelli. A equipe, que conta com o atleta olímpico Bruno Fontes, arriscou e conquistou a primeira vitória.

A concentração e o silêncio tomaram conta do momento até a buzina da Comissão de Regatas declarar a tripulação do Katana como o primeiro barco a cruzar a linha. A classe HPE 25, que conta com 10 veleiros, fez o percurso da Regata Renato Frankenthal, de 10 milhas. Nas últimas milhas, Ginga, Mussulo 25 e Conquest-Ecom brigaram pela liderança. O vento rondou na aproximação à linha de chegada obrigando as equipes a tomarem decisões rápidas. Melhor para o Conquest-Ecom de Marco Hidalgo, que larga na frente do campeonato.

A partir de terça-feira (27), as regatas da HPE25 passam a ser de barla-sota, ou seja, com mais boias para contornar e mais trocas de vela. As regatas foram acompanhadas pelos navios-patrulha Guajará e APA, esse último deu o tiro de partida deste domingo.

Últimas