Sem lucrar com eventos, Allianz Parque demite funcionários

Estádio do Palmeiras perdeu receitas em meio à paralisação por conta da pandemia do coronavírus e administradora WTorre precisou realizar corte no quadro de funcionários

Lance

Lance

Lance

A crise econômica decorrente pela pandemia do coronavírus gerou demissões no Allianz Parque. O estádio do Palmeiras perdeu receitas desde que paralisou por tempo indeterminado, desde o dia 16, e a a Wtorre, administradora da arena, reduziu seu quadro de funcionários.

A informação foi divulgada primeiramente pelo Esporte Interativo. O faturamento teve uma queda brusca com a ausência de eventos, tanto partidas quanto shows, e, depois de estudar a situação, a WTorre adotou um plano de redução de gastos que acabou gerando demissões.

Em 16 de março, quando ficou definido que todas as competições disputadas pelo Palmeiras estariam paralisadas por tempo indeterminado, a arena tomou a mesma medida. A decisão atingiu diretamente o Allianz Parque Tour e a Allianz Parque Store, suspensos sem previsão de retorno.

Desde então, a única ação promovida foi a participação da campanha nacional de vacinação contra gripe influenza, em 23 de março. A arena foi escolhida para a montagem do posto de vacinação por oferecer uma área mais ampla e ventilada para evitar a aglomeração de pessoas do grupo mais vulnerável ao risco de complicações decorrente do coronavírus.