Sem jogar há 150 dias, Guerra treina em casa sem ter um destino definido

Meia tem contrato com o Palmeiras até dezembro, mas não está nos planos do técnico Vanderlei Luxemburgo e trabalhava em horário separado até a pausa pelo coronavírus

Lance

Lance

Lance

A última partida oficial de Alejandro Guerra foi há exatos 150 dias, e apenas 37 deles são por conta da pausa do futebol devido à pandemia do coronavírus. O meia de 34 anos tem contrato com o Palmeiras até dezembro, mas não está nos planos do técnico Vanderlei Luxemburgo e, como os outros vinculados ao Verdão, mantém a forma física em casa. Contudo, sem saber seu destino.

- Você não precisa saber para onde está indo quando Deus está te guiando - escreveu o venezuelano, em espanhol, na sua conta particular no Instagram, na semana passada, em uma de suas diversas publicações em que ressalta as atividades físicas que mantém na sua residência desde a segunda metade do mês passado, quando o Verdão liberou todos da Academia de Futebol.

Confira a publicação de Alejandro Guerra em seu Instagram sobre seu destino:

Manter a forma física tem sido a única rotina do meia desde janeiro, quando se reapresentou das férias ao Verdão. Guerra passou o segundo semestre de 2019 emprestado ao Bahia e atuou pela última vez em 24 de novembro, entrando no intervalo da derrota por 4 a 3 para o Goiás, no Serra Dourada, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Não é relacionado desde 1 de dezembro, na vitória por 2 a 1 sobre o CSA, em Maceío, na antepenúltima rodada da competição.

Já se sabia que Luxemburgo não deveria contar com ele e, ainda em dezembro, o Coritiba manifestou interesse publicamente em Guerra. Em janeiro, o Cruzeiro também o quis, entre outros clubes do Brasil. Mas a liberação sempre teve um entrave econômico: ele chegou do Atlético Nacional, da Colômbia, por mais de R$ 10 milhões no começo de 2017, com valor custeado pela Crefisa, e, em dezembro, o Palmeiras precisará devolver a quantia para o patrocinador.

A situação, contudo, está prestes a mudar. A partir de julho, Guerra já está livre para assinar pré-contrato com qualquer equipe e deixar o Verdão de graça. Além disso, a pandemia pode fazer com que as relações econômicas sejam revistas, incluindo uma facilidade maior para deixá-lo atuar por outro clube. Porém, até agora, o cotidiano do meia somente mudou de endereço mesmo.

O meia não foi inscrito nem na Florida Cup, realizada na pré-temporada, nos Estados Unidos, em janeiro. É o único que treina em horário separado ainda sem destino, pois Jean acertou com o Cruzeiro. Em suas redes sociais, recebe seguidos comentários de torcedores, principalmente para voltar ao Atlético Nacional, onde foi campeão e considerado craque da Libertadores de 2016, e no qual entrou, recentemente, em eleição do melhores da história do clube.

Guerra foi contratado como um dos principais reforços para o Palmeiras que tinha acabado de ser campeão brasileiro, em 2016, mas, em dois anos e meio no elenco, sofreu com seguidas lesões, pouco agradou para ter sequência e tem 62 partidas e dois gols pelo clube, fazendo parte, como reserva, do grupo que ganhou o Brasileiro de 2018. A curiosidade é que ele já poderia estar livre no mercado, pois seu vínculo original acabava em dezembro de 2019, mas foi estendido ao selar seu empréstimo para o Bahia, no meio do ano passado.